LeEco desiste de ser a "Apple chinesa" e sai do Vale do Silício

Por Redação | 21 de Março de 2017 às 17h41

No ano passado, a LeEco, fabricando chinesa de smarphones e eletrônicos, se instalou em San Jose, Vale do Silício, com o plano de "enfrentar" a Apple no mercado norte-americano. Entretanto, a empresa já abandonou o plano e está demitindo os funcionários da unidade e vendendo sua propriedade na região.

Em abril do ano passado, a LeEco comprou do Yahoo uma propriedade de 8 mil metros quadrados, com o plano de empregar cerca de 12 mil pessoas. A manobra foi abertamente uma declaração de guerra contra a Apple - inclusive, o CEO da LeEco Jia Yeting afirmou que a companhia de Cupertino era "extremamente devagar" em seus aparelhos e comparou a maçã aos nazistas em comerciais.

Apesar de todo o barulho, menos de um ano depois a empresa asiática já listou a propriedade para venda. O plano de expansão acabou não evoluindo como esperado, com pouco mais de mil funcionários sendo contratados durante o período no Vale do Silício.

Segundo destacou a Reuters, o motivo para a "perda de gás" no mercado norte-americano tem um motivo simples: dinheiro. Em uma carta divulgada aos funcionários no final do ano passado, Jia afirmou que a expansão teria que esperar devido à falta de fundos para investir.

"Como nós aceleramos no escuro, e expandimos nosso negócio ao desperdiçar dinheiro, nós nos apressamos em nossa estratégia global", afirmou o CEO da empresa.

A pressa pode ser vista mesmo como um dos erros da LeEco, que apostou em uma exagerada expansão de seu portfólio no ano passado, indo além de celulares e entrando em produtos como televisões, bicicletas, headsets de realidade virtual.

Além de todos estes mercados, a LeEco também investiu na startup Faraday Future, fabricante de carros elétricos que prometeu entrar na briga contra a Tesla Motors. Entretanto, o plano original da Faraday também teve que ser reduzido - a prevista fábrica de US$ 1,3 bilhão, com capacidade de 150 mil carros por ano, agora será uma unidade de fabricação com a metade do tamanho e capacidade de produção.

Fonte: Apple Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.