Analista diminui previsões para ações da Apple no segundo semestre de 2016

Por Redação | 17.06.2016 às 14:56

Mesmo com todas as novidades apresentadas pela Apple na WWDC 2016, incluindo alguns elementos sobre as funcionalidades futuras do iOS, a empresa de análise JP Morgan não parece muito animada com as estimativas de venda da empresa para o restante de 2016. O motivo são os problemas econômicos enfrentados por países do mundo todo, segundo nota lançada para imprensa na última quinta-feira (17).

O analista Rod Hall prevê que as ações da Apple caiam de US$ 125 para US$ 105 até o final do ano. Ele também reduziu a receita estimada da Apple para o ano fiscal de 2017 para US$ 210 bilhões, uma queda de 1,6% equivalente a US$ 3 bilhões em relação aos ganhos do ano anterior.

As previsões de Hall foram especialmente pessimistas para o Apple Watch, que deve atingir menos da metade do seu potencial de vendas. Ele projeta vendas de 11,9 milhões de unidades em 2016, ao invés das estimativas anteriores de 23,5 milhões. Para o ano fiscal de 2017, a previsão de venda é de 14,5 milhões (antigamente, o número acreditado de vendas para o mesmo período era de 41.6 milhões).

"Acreditamos que a Apple esteja sendo penalizada por problemas de mercado. Nós estamos vendo a demanda cair mas acreditamos que isso seja um problema maior de mercado, não um problema específico da Apple", disse Hall.

Ele também acredita que as estimativas de vendas do iPhone vão permanecer as mesmas, mas com um aumento de 1% no custo por unidade (US$ 659) do celular em 2016, e 3% (US$ 646) em 2017. Outro ponto ressaltado pelo analista é que, embora a Apple tenha se dado bem em transições de tecnologia no passado, como a mudança para aparelhos touch, em outras áreas como computação de nuvem a empresa enfrenta problema.

De qualquer forma, a Apple ainda está se saindo melhor do que suas concorrentes e deve ter um belo ano fiscal em 2017, de acordo com os analistas.

Via: Apple Insider