Internet das Coisas pode movimentar US$ 13 bilhões no Brasil até 2020

Por Redação | 27.01.2017 às 12:48

A partir do segundo semestre de 2017, a Internet das Coisas (IoT) vai ganhar impulso no Brasil e pode chegar a movimentar US$ 13 bilhões até 2020. Boa parte desse "empurrãozinho" ficará por conta da definição de uma política pública relacionada à IoT pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

Em dezembro do ano passado, o BNDES assinou um convênio com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) para dar início à elaboração de um Plano Nacional de Internet das Coisas com vigência de cinco anos (2017 a 2022). Um estudo técnico foi solicitado para embasar propostas de políticas públicas para a IoT no Brasil e, após a entrega do relatório, o BNDES será responsável por propor linhas de financiamento e modelos de fomento para o setor.

O valor bilionário citado inicialmente é uma previsão da IDC Brasil, que durante suas pesquisas descobriu que o país ainda está pouco envolvido com tecnologias inovadoras, tais como IoT, blockchain, Analytics, Cognitive/AI e Realidade Aumentada/Realidade virtual. De acordo com os dados, pouco mais de 10% das empresas brasileiras já investem cerca de 5% de seu faturamento nessas tecnologias.

Um elemento chave nessa evolução é a tecnologia de blockchain, que ainda é pouco utilizada, mas deve registrar crescimento no número de projetos. “A adoção [da tecnologia] ainda será gradual, uma vez que ainda há muitos desafios regulatórios e de compliance no Brasil”, explica Pietro Delai, gerente de consultoria e pesquisa de infraestrutura e telecom da IDC .

Dentre outras tendências para os próximos anos, a IDC Brasil lista softwares de Business Analytics,com um crescimento esperado de 4,7% neste ano, movimentando US$ 848 milhões. Já em relação à Realidade Virtual e Aumentada, a previsão é que o mercado brasileiro dobre em número de unidades, ultrapassando a casa dos 100 mil produtos.

Com informações do CIO