Intel Security renova estratégia de venda com oferta de plataforma ponta-a-ponta

Por Rafael Romer | 16 de Maio de 2016 às 00h25
photo_camera scyther5

*De Boca Raton, Flórida

A Intel Security anunciou pela primeira vez que reformularia completamente suas estratégias de negócio e comercialização produtos: a empresa não focaria mais na venda de soluções pontuais de segurança para seus clientes, mas sim em plataformas completas, que englobassem todo o ciclo de vida de cibersegurança – desde a proteção e detecção à correlação de ameaças.

Agora, a empresa parece estar pronta para colocar o plano em prática, com a expectativa de bater de frente com players tradicionais do setor e ganhar espaço no mercado, com a meta fechar 2016 com crescimento global de dois dígitos em seu negócio.

Durante sua conferência anual de canais America's Channel Summit, realizada na semana passada, em Boca Raton, a empresa levou a mensagem da nova estratégia para os canais de vendas e parceiros de negócios, detalhando como o plano se alinha com o atual panorama de ameaças de segurança e a nova forma com que organizações precisam lidar com a proteção de seus ambientes.

De acordo com Steve Grobman, CTO da Intel, clientes da empresa enfrentam atualmente uma escalada inédita de ameaças de segurança, com desafios como a ampliação no número e variedade de ramsonwares e malwares – são mais de 500 mil novas detecções por dia –, a falta de mão-de-obra especializada em segurança, e novas conexões trazidas pela Internet das Coisas, criando cada vez mais portas de entrada para ataques com alto potencial de disrupção de negócios e roubo de informações nas empresas.

O novo cenário de cibersegurança já tem causado mudanças de mentalidade entre clientes, e a empresa já vê uma preocupação maior entre estes clientes e a concientização de que a segurança corporativa não pode mais ser feita somente através do uso de soluções de prateleira. O próximo passo, agora, é criar as ofertas que ao mesmo tempo enfrentem estes desafios e se enxaixem com as demandas destes clientes.

"Nós precisamos de uma forma diferente de enfrentar isso. A tecnologia de cibersegurança é o inverso de outras soluções de TI. Quase toda tecnologia evolui com o tempo, você é beneficiado pela adoção tardia, mas com a segurança é o contrário: quando uma nova tecnologia surge ela é eficiente, há poucas implementações e não há contramedidas a ela", comentou Grobman. "Nós precisamos maximizar o tempo para o cliente poder usar a tecnologia com essa eficiência".

Intel Security

Para CTO da Intel, estratégia de comercilização de plataformas fortalece "vida-útil" de soluções contra ameaças de segurança (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Segundo o executivo, a nova estratégia da Intel para a comercialização de plaformas fim-a-fim está no centro dessa tentativa de extensão da "vida-útil" das soluções, já que as tecnologias integradas permitem a construção de resiliência desde a fase de desenvolvimento e evitam ambientes complexos com múltiplas implementações de produtos pontuais e sem integração.

O desenho da nova estratégia de negócios, no entanto, demandou algumas escolhas e mudança de foco da empresa. Recentemente, a Intel anunciou que não ofertaria mais soluções próprias em áreas como mobilidade, firewall e email, atuando a partir de agora através de parcerios de negócios.

Por outro lado, a empresa reinvestiu os ativos destes setores no desenvolvimento de novas soluções, como o Endpoint Security 10.2, que lançará a containerização dinâmica de aplicações para proteção de dispositivos, e a Data Exchange Layer (DXL), para integração e troca de infromações entre tecnologias de empresas diferentes – ambos anunciados durante a conferência, com lançamento previsto para o final do ano, durante a Focus 2016.

"Nossa aceleração será guiada por nós mesmos, criando nossas plataformas e arquiteturas", explicou Raja Patel, vice presidente de diretor geral de produtos corporativos da Intel Security. "Isso melhora não só nossa capacidade de entregar novas tecnologias mais rápido, mas também a habilidade de nossos clientes de adotarem tecnologias mais rápido".

*O repórter viajou a convite da Intel Security

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!