Intel prevê queda nas vendas após lançamento do AMD Ryzen

Por Redação | 02 de Maio de 2017 às 09h52

2017 não parece estar sendo um bom ano para a Intel. Enquanto vê sua consolidada liderança no mercado de chips ameaçada pela Samsung, a fabricante anunciou agora uma expectativa de queda nas vendas para sua divisão de processadores motivada pela chegada do AMD Ryzen, principal lançamento da rival para o atual período.

Com desempenho competitivo, mas valor abaixo do cobrado hoje pela Intel, a chegada do componente pode gerar um “ligeiro declínio” nas vendas para os próximos trimestres. É um resultado que contrasta com o aumento de 6% nas receitas registrado pela empresa no primeiro trimestre deste ano, quando faturou US$ 8 bilhões.

O cenário, porém, está mudando. Para Jim McGregor, da consultoria Tirias Research, a ideia de que os processadores da AMD são inferiores em potência estaria acabando na medida em que fabricantes de notebooks e PCs se aliam à empresa em busca de preços menores e vendas significativas, em um mercado no qual os computadores pessoais apresentam cada vez mais quedas.

É justamente no público gamer, um dos que ainda mais gasta com componentes, que se concentram os esforços recentes da AMD. O Ryzen 7 1800X, por exemplo, é o chip mais potente já produzido pela marca, com oito núcleos de processamento. O que muda, entretanto, é o preço – US$ 499 nos Estados Unidos, enquanto a proposta equivalente pelas mãos da Intel, o i7-6900K, sai por mais do que o dobro, US$ 1.089.

A chegada de componentes mais baratos já teria levado a Intel a reajustar os preços de suas ofertas, o que, para analistas, acaba por sacrificar as margens da companhia. Seria, também, uma amostra de que a empresa está sentindo a pressão da AMD, apesar de o CEO Brian Krzanich negar que os fatos estejam relacionados.

Para a Tirias Research, entretanto, ainda é cedo para afirmar que a queda nos preços e a concorrência mais ferrenha vá durar pelo longo prazo. Isso se deve, principalmente, ao fato de que os chips de oitava geração da Intel devem chegar no final deste ano, trazendo ainda mais poder de processamento e derrubando os valores das propostas atuais. Sendo assim, elas podem se tornar mais atrativas para fabricantes e consumidores, enquanto o topo de linha, como sempre, permanece voltado para quem tem bolsos fundos e busca a maior performance possível.

Fica a dúvida, também, sobre o mercado de computadores e, principalmente, notebooks com menor desempenho. Aqui, o mercado reage de forma muito mais clara a variações de preço, normalmente preferindo os mais baratos, mesmo que isso signifique performance menor. A AMD já disse estar preparando lançamentos para esse segmento, onde a briga ainda deve se acirrar.

Fonte: IDG Now

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.