Intel muda forma de apresentar resultados para esconder perdas

Por Redação | 07.04.2015 às 15:47
photo_camera Divulgação

Um malabarismo financeiro vai permitir que a Intel esconda as perdas sucessivas de sua divisão de fabricação de chips para smartphones e tablets. Em uma decisão publicada nesta terça-feira (7), a empresa anunciou a criação de um grupo chamado Client Computing, que vai unir o setor mobile ao de produção de processadores e outros componentes para computadores.

O resultado disso será uma máscara sobre os prejuízos que o segmento móvel tem proporcionado à empresa. Desde 2012, a estimativa é que US$ 7 bilhões em perdas tenham sido acumulados, principalmente devido ao domínio de fabricantes como a Apple e Qualcomm no mercado, com soluções já reconhecidas e grandes acordos em vigência com algumas das principais players do setor. Nesse meio, a Intel luta para tornar seus processadores e chips relevantes, mas sem ver muito sucesso nessa empreitada.

Enquanto isso, o setor de PC e servidores já acumula ganhos na casa dos US$ 27 bilhões, mesmo com a queda nas vendas de computadores pessoais e a mudança para uma arquitetura de computação nas nuvens se tornando cada vez mais as tônicas do mercado. Na soma, a divisão aparecerá com um saldo positivo, e os investidores poderão fazer de conta que tudo está funcionando bem o tempo todo.

Os boatos sobre a mudança existem desde o final do ano passado, mas só agora foram confirmados. A expectativa é que os números do primeiro semestre de 2015, a serem divulgados na próxima semana, já venham divididos de acordo com a nova metodologia, sem que a categoria de chips mobile seja discriminada do restante da operação de componentes da Intel.

Além disso, o movimento vem em um momento que parece ser crucial para o futuro da Intel no mundo mobile. Rumores apontam que a empresa obteve um acordo de fabricação com a Apple para produção de chips para o iPhone 7, que seria lançado em 2016, após a chegada de versões aprimoradas dos modelos atuais. Por mais que a notícia não tenha sido confirmada ainda, ela pode ser o sopro de ar fresco que os números da companhia mais do que nunca precisam receber.

Por outro lado, outros rumores dão conta de que, muito em breve, a fabricante de processadores pode perder uma generosa fatia de seu próprio mercado por conta, também, da Apple. Com o avanço nos chips A, usados em toda a família mobile da Maçã, existem indícios de que a empresa também estaria prestes a usar essa arquitetura em uma nova geração de MacBooks, que começaria a fazer a ponte entre computadores, celulares e tablets. A Intel, hoje, é a fornecedora de componentes para os computadores da empresa de Cupertino.

Nada disso, porém, foi confirmado, e ambas as companhias permanecem mudas quanto a evoluções desse tipo. Mas, com a mudança na apresentação dos resultados financeiros da Intel, dá para especular desde já que, no começo de 2015, os números da divisão mobile, pelo menos, não foram nada satisfatórios. Até que ponto, porém, parece que não saberemos.

Fontes: Intel, Apple Insider