Instituto em prol de mulheres em tech decide encerrar sua parceria com a Uber

Por Redação | 26.05.2017 às 17:15

Mais um golpe acaba de ser dado em direção à Uber: dessa vez, o Instituto Anita Borg (ABI), que existe para ajudar a aumentar a presença das mulheres no universo da tecnologia, decidiu encerrar sua parceria de quase dois anos com a Uber. O motivo? A entidade estaria preocupada com as “contínuas alegações que a Uber enfrenta quanto ao tratamento dado às mulheres que trabalham na empresa”, conforme consta em uma carta enviada à companhia de transporte.

A parceria começou em 2015, quando a companhia chefiada por Travis Kalanick procurou o ABI para melhorar a participação de mulheres por lá. O instituto, que tem como missão fortalecer o crescimento profissional de mulheres em trabalhos ligados à tecnologia, acabou aceitando a parceria mesmo com aquele pé atrás, por conta da má reputação que a Uber já tinha nesse quesito. Em entrevista ao Mashable, a entidade explicou que tinha “preocupações com a reputação da companhia”, mas abriu “um canal de diálogo com a liderança da Uber mesmo assim”.

No entanto, desde que a parceria aconteceu, a realidade das mulheres na Uber não melhorou. Na verdade, a companhia não somente não estaria fazendo nada para contribuir para com a inclusão de mulheres em cargos de engenharia, como ainda chegou a camuflar (e, consequentemente, proteger) uma cultura de assédio existente lá dentro. A engenheira Susan Fowler chegou a denunciar em seu blog que teria sido assediada por um gerente da Uber pouco depois de sua contratação, e que, ao reportar o ocorrido a seus superiores, ouviu da equipe de recursos humanos que ela deveria mudar de área, ou se conformar com aquela situação absurda.

Segundo o ABI, esse caso, somado ao fato de que Kalanick teria levado executivos na Coreia do Sul para um karaokê recheado de acompanhantes profissionais, foram decisivos para que o instituto decidisse encerrar definitivamente sua parceria com a empresa. Do outro lado, a Uber tenta se defender. Komal Mangtani, líder de engenharia da companhia, declarou que a empresa sabe que tem muito trabalho pela frente, e que, apesar de estarem surpresos com a decisão da entidade, estariam comprometidos a manter contato com o ABI.

Via: Mashable, Susan Fowler