IBM quer tornar Internet das Coisas mais segura com novo sistema

Por Redação | 13.04.2015 às 10:02

Quando uma nova onda começa, pouca gente pensa em quando ela vai acabar. Quando se compra um novo eletrônico, ninguém nunca imagina o que vai fazer com ele quando o produto não funcionar mais ou ficar obsoleto. Mas é esse gerenciamento ao longo de todo o ciclo de vida de um dispositivo que é a chave de um novo sistema que está sendo criado pela IBM ao lado da Texas Instruments, de forma a trazer mais segurança para o mundo da Internet das Coisas.

Como parte de seu programa focado em softwares de gestão e funcionamento para produtos desse segmento, a companhia revelou uma iniciativa para criação do que chama de “tokens digitais”, capazes de verificar a identidade de um aparelho e mantê-lo controlado e acessível dentro de uma rede, além de removê-lo dela quando for a hora de aposentar o dispositivo.

Para a IBM, o movimento rumo à Internet das Coisas passa por mais do que lotar as casas e as empresas de equipamentos que gerenciam todos os seus aspectos, precisando contar, também, com um ecossistema que conecta tudo isso não apenas do ponto de vista da usabilidade, mas também da segurança. Por meio de certificados digitais, será possível saber exatamente como cada aparelho está se comportando, quais estão conectados e, acima de tudo, quais não deveriam estar por ali.

Funcionando a partir da rede de cloud computing da própria IBM, o sistema dará aos gerentes de TI a possibilidade de controlar toda a infraestrutura mesmo que não estejam presentes no local em que estão os aparelhos. Sendo assim, o grande foco acaba sendo o mercado corporativo onde, espera-se, 20% dos gastos com segurança ao longo dos próximos anos serão voltados justamente para a proteção da Internet das Coisas.

Acima de tudo isso, o objetivo da empresa com a iniciativa é incentivar as companhias a, desde já, criarem políticas de tecnologia da informação voltadas para tais equipamentos. O movimento de popularização deles no segmento corporativo parece não acompanhar a criação de sistemas de segurança e proteção, um aspecto que, muito rapidamente, pode causar sérios problemas para os negócios. Portanto, desde já, a ideia é não apenas entregar as ferramentas necessárias para que tudo seja gerenciado, mas também investir em conscientização para que tudo corra bem.

O mercado da Internet das Coisas é um dos pontos-chave da estratégia da IBM para os próximos anos, enquanto ela se afasta cada vez mais dos segmentos tradicionais de infraestrutura para focar em cloud computing. Além dos tokens digitais, a empresa também anunciou um sistema de Internet das Coisas voltado para a indústria aeronáutica, conectando todas as peças de uma aeronave em um único sistema de gerenciamento, e uma plataforma que facilita o trabalho de engenheiros no design de novos produtos.

Fontes: IBM, ZDNet