IBM oferece serviços de inteligência artificial Watson para outras empresas

Por Redação | 16 de Dezembro de 2015 às 14h50

Apesar de ser um tema ainda espinhoso e cheio de referências negativas na ficção científica, a inteligência artificial (AI) já oferece inúmeras soluções interessantes na atualidade. Uma delas envolve o gerenciamento e organização de grandes volumes de dados, como é o caso do sistema de inteligência artificial Watson, desenvolvido pela IBM e que passa a ser oferecido para outras companhias.

Um dos principais destaques deste sistema é a sua alta capacidade de aprendizado. Ele é capaz de analisar dados de inúmeras fontes humanas, como áudio, texto e voz e, com isso, refinar sua capacidade de interpretação. Feito isso, um exemplo de sua aplicabilidade pode ser a análise de dados de fornecidos por sensores e outros equipamentos durante um voo, permitindo assim a identificação precisa das condições de voo que podem causar o consumo excessivo de combustível.

Tudo isso se encaixa dentro do grande universo da chamada Internet das Coisas (ou IoT, como também é conhecida pela sigla em inglês). A ideia básica aqui é que as coisas todas estão e estarão cada vez mais interligadas entre si pela internet — no exemplo do avião, turbinas, bombas de água e outros componentes ficam conectados à rede a fim de fornecer e receber dados.

Combinação de análises inteligentes

Após uma série de testes e programas pilotos, a IBM conseguiu combinar métodos tradicionais de medição com dados não estruturados. Um deles foi utilizado para monitorar condições climáticas e poluição do ar em Pequim, China, em conjunto com o departamento de proteção ambiental da cidade.

“Usando não apenas coisas estruturadas, mas vídeos que as pessoas fazem, transcrições de call centers e blogs, nós fomos capazes de identificar de forma bastante precisa exatamente de onde vinham os poluidores e como eles estavam se movendo”, comenta o gerente-geral do Watson e do programa de IoT dentro da IBM, Harriet Green.

IBM Watson

IBM Watson. (Foto: Clockready/Wikimedia Commons)

Green será o responsável por comandar a nova central de IoT da IBM, sediada em Munique, na Alemanha. A ideia é que o espaço sirva de palco para o desenvolvimento de uma série de projetos junto de uma série de grandes clientes, como a empresa de telefonia Vodaphone e alguns governos locais. Sem dar muitas pistas, ele informa que o trabalho com a companhia de telefonia envolve a análise de dados sobre as impressões das pessoas a respeito dos serviços oferecidos, sempre com autorização, a fim de aprimorá-los.

Fonte: Fast Company

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.