IBM, Huawei e outras cinco empresas criam consórcio para construir acelerador

Por Redação | 23 de Maio de 2016 às 11h46
photo_camera Divulgação

Nesta segunda-feira (23), AMD, ARM, Huawei, IBM, Mellanox, Qualcomm e Xilinx anunciaram uma parceria para desenvolver e implementar uma interconexão capaz de fazer CPUs e aceleradores conversarem entre si enquanto compartilham a memória principal de uma máquina. As sete companhias revelaram que irão colaborar entre si para construir uma tecnologia com cache coerente a fim de interconectar suas CPUs, aceleradores e redes, tudo como parte do Consórcio de Acelerador CCIX.

Construir uma interface que permita que dispositivos compartilhem dados entre implementações díspares de CPUs, FPGAs, GPUs e chips de rede será um desafio enorme. Se o plano der certo, os benefícios serão enormes. Um deles será a possibilidade de aumentar a aceleração de computação e rede em esquema plug-and-play para qualquer processador que o usuário escolher, dando-lhe um desempenho muito melhor do que o que há atualmente no mercado.

Como a Lei de Moore aparentemente está chegando ao fim, os engenheiros estão cada vez mais se valendo de aceleradores como GPUs, FPGAs, DSPs e motores de rede para continuar a atender a demanda do público por computação mais barata, melhor e mais rápida. Atualmente, os aceleradores são conectados ao processador (seja ele X86, ARM, POWER) via PCI Express (PCIe).

O PCIe foi criado como uma interface I/O e não é ideal para taxas altas de e conectividade de baixa latência exigidas pelos processadores, que geralmente pedem conexões mais rápidas do que o PCIe pode oferecer. A alternativa, nesse caso, é fazer o CPU intervir no processo de aceleração de memória, o que cria um bottleneck problemático. A coerência de cache parece ser uma tarefa fácil de atingir, mas não é.

Por outro lado, a IBM e a NVIDIA já desenvolveram suas próprias tecnologias para essa questão. Com o POWER8, a Big Blue anunciou o Processador Acelerador Interconectado de Cache Coerente (ou CAPI, na sigla original), que está sendo utilizado atualmente pela Xilinx para aumentar o desempenho. A NVIDIA, por sua vez, investiu na tecnologia NVLink, que oferece uma conectividade mais rápida entre GPUs com o IBM Power.

Fonte: Forbes

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.