iPhone 6 faz vendas da Apple subirem na Coreia do Sul, país da Samsung

Por Redação | 21.01.2015 às 14:40
photo_camera Divulgação

Muita gente criticou o fato da Apple ter optado em lançar smartphones com telas maiores, mesmo com um modelo semelhante menor, de 4,7 polegadas. Mas a decisão tem rendido bons resultados à Maçã, especialmente em países do continente asiático, como Japão, China e Coreia do Sul, onde as vendas do iPhone 6 Plus dispararam. Os dados são da empresa de consultoria Counterpoint Research.

De acordo com o Wall Street Journal, o sucesso dos novos telefones da Apple no continente se dá porque os asiáticos sempre preferiram aparelhos com telas acima da média, os chamados "phablets" (mistura de tablet com smartphone). Além disso, muitos usuários que moram nesses países optam em ter um dispositivo maior em substituição ao desktop comum, o que impulsiona ainda mais as vendas de gadgets da categoria.

Com isso, não é nenhuma surpresa os novos iPhones terem caído no gosto dos asiáticos. Para se ter uma ideia, na China, os aparelhos já ocupam o terceiro lugar no mercado de celulares inteligentes local – o maior do mundo –, com domínio de 12% da fatia total. A companhia está atrás apenas da Xiaomi, com 18%, e da Lenovo, com 13%. No Japão, os números são ainda mais favoráveis à gigante de Cupertino: com a chegada dos iPhones 6 e 6 Plus, a participação da Apple alcançou 51% em novembro do ano passado, à frente da Sony, que aparece em segundo lugar com 17%.

No entanto, o dado mais curioso do levantamento da Counterpoint Research vem da Coreia do Sul, onde a Apple bateu empresas como LG e Samsung, que são nativas do país asiático. Segundo a consultoria, os novos iPhones fizeram o marketshare da Maçã na Coreia saltar de 15% para 33%, ou seja, duplicando seu percentual de vendas nos últimos meses fiscais. Para efeito de comparação, nenhuma outra marca de fora do país tinha ultrapassado a barreira dos 20% no mercado de smartphones.

Em contrapartida, a Samsung, que sempre dominou a indústria de celulares na Coreia do Sul, tem visto seu domínio ser ameaçado pelo crescimento da rival. A dona da linha Galaxy ainda está em primeiro lugar, mas em novembro, o market share da Samsung caiu de 60% para 46%. A LG, outra companhia nativa da Coreia do Sul, figura no terceiro lugar com 14%. Além disso, o mesmo cenário acontece na China, onde a Samsung aparece na quarta posição com apenas 9% de participação no mercado.

Nenhuma empresa estrangeira ultrapassou a marca de 20% de mercado na história da indústria de smartphones da Coreia", disse Tom Kang, diretor de pesquisas para dispositivos móveis da Counterpoint. "Ele [o mercado local] sempre foi dominado pelo líder mundial de smartphones, a Samsung. Mas o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus têm feito a diferença aqui, ameaçando as vendas de phablets rivais".

No próximo dia 27 de janeiro, a Apple vai anunciar os resultados financeiros do último trimestre, que incluem dados do mercado da Ásia. A expectativa é que a companhia tenha vendido 60 milhões de unidades do novo iPhone.