Hyundai e Google podem se unir para fabricação de veículos autônomos

Por Redação | 19 de Agosto de 2016 às 19h16

A computação envolvida em veículos autônomos nem sempre é a especialidade de montadoras de carros. Do mesmo modo que a fabricação de veículos não é a preocupação primária das grandes empresas tech. A solução, então, pode estar na combinação de expertises. A Hyundai, quinta maior montadora de carros do mundo, divulgou nesta semana que está negociando uma parceria com a Alphabet, que engloba o Google, para viabilizar a produção de veículos que dispensam motorista.

"A Hyundai está ficando atrasada na competição de veículos autônomos (VA). Não é uma escolha, mas um pré-requisito para a empresa cooperar com companhias de TI como o Google para sobreviver no futuro", explica o analista de automóveis da Hi Investment & Security Co., Ko Tae Bong.

A relativa falta de familiaridade do Google com a produção de carros pode ser um fator positivo para a Hyundai. A empresa sul coreana, no entanto, já se aproximou da tecnologia smart de carros, se destacando por adotar as plataformas Android Auto e CarPlay da Apple em seus modelos mais recentes.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Experiências passadas mostram que o interesse é recíproco. Em maio, o Google adquiriu 100 minivans da Fiat Chrysler para expandir sua tecnologia autônoma. "Essa foi a primeira vez que trabalhamos diretamente com uma montadora para criar nossos veículos", explicou a empresa em nota.

A aliança se expande ainda mais quando o assunto é regulamentação. Ao todo, cinco empresas se agruparam – Alphabet, Ford, Lyft, Volvo e Uber – formando a Safer Streets, com o objetivo de facilitar a aceitação pública e governamental dos VAs nos Estados Unidos.

Ambas as indústrias tech e automotiva são altamente competitivas. Se em clima de rivalidade já passamos por tantos avanços em tão pouco tempo, a união em nome do desenvolvimento pode agilizar ainda mais o progresso. Talvez os VAs estejam nas ruas bem antes do que imaginamos.

Fonte PC World

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.