Huawei inaugura espaço de treinamento e laboratório para Cidades Inteligentes

Por Rafael Romer | 09 de Outubro de 2015 às 12h20
photo_camera Rafael Romer/Canaltech

A empresa chinesa de telecomunicações Huawei inaugurou dois novos espaços em seu escritório brasileiro, em São Paulo, nesta quinta-feira (10), como parte de sua estratégia de investimento em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no país.

O primeiro espaço é um novo centro de treinamento para empresas, clientes, funcionários da Huawei e estudantes de universidades brasileiras.

Um espaço de treinamento semelhante já era operado pela companhia em Campinas, mas agora migra para São Paulo por uma demanda de clientes que buscavam um local mais próximo às suas sedes para o treinamento de pessoal. De acordo com a Huawei, o espaço de Campinas deverá ser fechado à medida em que o de São Paulo for assumindo as funções.

A expectativa é que o centro forme de 1,2 mil a 2 mil pessoas por ano. Desde que começou suas operações no Brasil, em 2000, a corporação treinou cerca de 20 mil profissionais em soluções e tecnologias de telecomunicações.

Huawei

Centro de Demonstrações de Tecnologias está localizado na sede da Huawei em São Paulo (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Desenvolvimento em Cidades Inteligentes e IoT

Além do espaço em São Paulo, a empresa anunciou a abertura de um laboratório de pesquisa e desenvolvimento de soluções focadas em Cidades Inteligentes e Internet das Coisas (IoT) em conjunto com a Pontífice Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

Apelidado de Smart City Center, o espaço é uma parceria com a Faculdade de Informática (Facin) e de Administração, Contabilidade e Economia (FACE) da PUC-RS, além de ter apoio da Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Sul (Procergs) e do Centro Integrado de Comando da Prefeitura de Porto Alegre (Ceic). A inauguração do centro está prevista para o primeiro semestre de 2016, mas algumas soluções já estão em fase de provas de conceito pela equipe do local.

A primeira delas é uma espécie de sistema operacional para cidades inteligentes, ou City OS, que deverá funcionar como uma plataforma simplificada para desenvolvimento e implementação de aplicações de múltiplos fabricantes e formatos.

"Você tem uma interface comum, uma API em comum na qual todos sabem desenvolver um aplicativo para rodar nela, é pública", explicou o professor pesquisador da Faculdade de Informática da PUC-RS, Fabiano Hessel. "Nada mais é do que uma plataforma de interoperabilidade na qual eu posso desenvolver e implementar uma aplicação sem ter que modificar toda a cadeia".

A equipe do centro também está trabalhando em um projeto de iluminação pública inteligente com equipamentos da Huawei para a telegestão de postes e luminárias baseados em georeferenciamento.

Por fim, uma terceira prova de conceito tem foco a integração das câmeras de segurança do centro de comando e operações de Porto Alegre com o serviço de atendimento emergencial SAMU, com o objetivo de tornar o envio de ambulâncias mais "inteligente" - enviando apenas ambulâncias equipadas com as ferramentas médicas necessárias para cada tipo de atendimento diferente, de acordo com a gravidade de cada caso.

De acordo com Hessel, a ideia é que o espaço também seja aberto para colaborações e teste de soluções de outras empresas que tenham sistemas dedicados a smartcities ou IoT em indústrias como agricultura, saúde, automobilística, educação e outras.

A Huawei tem investido fortemente no mercado de Cidades Inteligentes no Brasil e aposta no setor como uma das possibilidades de renda para os próximos anos. A empresa já está envolvida em diversas iniciativas de smartcities, com soluções voltadas para setores como a Segurança Pública.

O sistema de rádio com streaming de vídeo através de redes 4G seguras da empresa, o eLTE, já teve algumas provas de conceito no Rio de Janeiro para monitorar a praia de Ipanema durante o Réveillon e é uma das apostas da empresa conforme mais prefeituras e governos buscam conectar seus serviços púbicos em busca de ganho de eficiência e corte de gastos.

Demonstração de soluções

Além dos dois anúncios, a chinesa inaugurou o seu primeiro centro de demonstração de soluções da América Latina. Apelidado de Centro de Inovação e Integração de Soluções para Clientes (CSIC, em inglês), o local também funcionará na sede da empresa em São Paulo. O espaço inclui uma série de demonstrações e simulações de tecnologias da Huawei em áreas de LTE (VoLTE), streaming de vídeo em 4K, Big Data, nuvem e banda larga móvel.

O centro é o primeiro do tipo nas Américas, mas já existe em cidades como Shenzhen, Pequim e Xangai, na China, e em países europeus como França, Reino Unido, Rússia e Polônia.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!