HP se une à Microsoft para vender soluções de cloud computing

Por Dimitri Lopes | 25.11.2015 às 13:42
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

A HP deu um de seus primeiros grandes passos desde sua reestruturação interna, que dividiu seus segmentos de computadores e informática da prestação de serviços para companhias. E é justamente esse segundo setor, a Hewlett Packard Enterprise, que acaba de assinar um acordo com a Microsoft para se tornar um dos principais fornecedores de tecnologias de cloud computing para a companhia.

A novidade foi anunciada em uma conference call de divulgação de resultados nesta terça-feira (24) pela própria CEO da HPE, Meg Whitman. Segundo ela, a ideia é transformar a empresa em um grande nome das “nuvens híbridas”, estando presente em toda a cadeia de implementação desses sistemas. Ou seja, a companhia não apenas vai vender o hardware, como servidores e outros equipamentos, como também implementar softwares e auxiliar os clientes na transformação de seus data centers em sistemas privados de cloud computing, nos quais eles poderão rodar suas próprias aplicações.

A união coloca lado a lado duas das grandes companhias desse segmento – de olho, claro, em roubar mercado de nomes como Google e Amazon – e também permite que elas deixem de ser concorrentes entre si. E pela união de seus poderes, nasce o que, tanto para HPE quanto para a Microsoft, deve ser a grande oportunidade para continuar crescendo em um mercado cada vez mais competitivo.

Apesar de todo o tamanho que essa parceria representa, Whitman ainda afirmou que o negócio se trata de “ficar pequeno”. Mais uma vez falando sobre a compra da EMC pela Dell, também focada em negócios de cloud computing, a executiva afirmou que enquanto a concorrência tenta crescer em cima de equipamentos legados e bases antigas, o objetivo da HPE é justamente apostar no novo. Esse foi um dos focos da reestruturação recente e da união com a Microsoft que foi firmada agora.

Em vez de apostar naquilo que está instalado e tentar um custoso processo de atualização, a HPE quer seguir em frente. Ao colocar todas as suas fichas no cloud computing e na prestação de serviços, a diretoria da companhia acredita estar em uma ótima posição para bater de frente com a Amazon e o Google, obtendo clientes a partir de uma solução completa que passa a ser oferecida lado a lado com a Microsoft.

Seguindo esse movimento de se manter pequeno, Whitman disse que não existem planos de aquisição de novas empresas ou tecnologias no momento. Esse tipo de recurso é considerado pela empresa, mas apenas quando a HPE não for capaz de oferecer soluções equivalentes desenvolvidas por ela mesma. E mesmo quando uma compra for necessária, a ideia é procurar startups e companhias incipientes, e não grandes nomes do mercado.

Fonte: Business Insider (1) e (2)