HP lança novos laptops e linha de PCs corporativos focados em design

Por Rafael Romer | 29.09.2015 às 19:12
photo_camera Rafael Romer/Canaltech

*Da Cidade do México, México

Em um mês, a HP colocará finalmente em prática sua divisão em duas novas companhias, focadas separadamente nos setores de dispositivos pessoais e impressão, nas mãos da HP Inc., e nos serviços para o mercado corporativo, com a Hewlett Packard Enterprise. Antecipando o que deverá ser a estratégia da nova organização dedicada às linhas de produtos, a HP anunciou nesta terça-feira (29) uma extensa atualização de seus dispositivos para empresas, durante um evento para a imprensa na Cidade do México.

Apesar dos dois últimos anos pouco satisfatórios para o mercado de PCs, a HP aposta no potencial de crescimento desse mercado para os próximos anos, baseada principalmente na chegada do novo Windows 10 e também na grande base instalada de PCs com quatro ou mais anos de uso em empresas. A HP estima que globalmente existam cerca de 589 milhões de equipamentos nessa categoria. Com esses fatores, a empresa acredita em um mercado potencial de dispositivos móveis de US$ 340 milhões.

Para conquistar seu espaço dentro desse gap de gerações, o discurso da HP girou ao redor de três palavras: design, segurança e inovação. Com a chegada da HP Inc., a empresa busca agora consolidar sua posição como um tradicional fornecedor de equipamentos para o setor corporativo, mas ao mesmo tempo conquistar espaço entre jovens millennials, uma demografia que cresceu e agora quer dispositivos "cool" para usarem no mercado de trabalho.

Hp

Novos dispositivos focam em usabilidade e design moderno (foto: Rafael Romer/Canaltech)

De acordo com Alex Cho, vice-presidente de PCs corporativos, impressoras e sistemas pessoas da HP, há dois anos a preocupação com o design de produtos não estava no radar da HP, mas agora passará a ser um fator cada vez mais relevante para os novos lançamentos da companhia. Com seus novos produtos, a empresa busca adereçar transformações no setor corporativo, como a mobilidade de funcionários, que já não ocupam um espaço fixo dentro de escritórios.

"Nós entendemos que não podemos focar só na TI por causa da mistura entre as vidas pessoais e profissionais. Nós vamos continuar a entregar as necessidades de segurança, implementação e suporte de serviços, gerenciamento de custo da TI, mas vamos também inovar para entregar novas experiências direto para o usuário final", explicou Cho.

Mas deixando os produtos de lado por um momento, construir essa imagem "cool", no entanto, deve ser um desafio a para HP, já que a empresa é tradicionalmente associada mais ao setor corporativo do que à primeira opção entre jovens consumidores. Ao Canaltech, o vice-presidente de sistemas pessoais para as Américas, Kobi Elbaz, afirmou que a empresa já está trabalhando nessa comunicação com iniciativas nas redes sociais e através da contratação em abril de um novo diretor de marketing, o ex-Visa Antonio Lucio, que está trabalhando ativamente na transição para novos produtos e serviços.

Para isso, a HP deverá focar sua estratégia em três áreas diferentes: "core", que focará em produtos que buscam entregar custo-beneficio para empresas; "growth", focados em dispositivos que entregam funções como mobilidade e inovação; e "future", que estará focada em estratégias disruptivas, como a computação imersiva de produtos como o HP Sprout.

Design e colaboração

No centro da nova estratégia focada em design está a nova linha de laptops ultra-finos Elitebook 705 G3 series, com acabamento em liga de magnésio e alumínio. Com 18,9 mm de espessura e 1,2 kg, o dispositivo estará disponível em versões de 12,5, 14 e 15,6 polegadas com displays HD, Full HD ou Quad HD, e embarcado com o processador AMD Pro A12. Os notebooks estarão disponíveis a partir de US$ 749, mas sem preço ou data confirmada para o Brasil.

HP

Com acabamento em magnésio e alumínio, Elitebook foi o principal anúncio da companhia durante o evento (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Para a área de desktops, a HP anunciou os modelos redesenhados de All-in-one (AiO) EliteOne 705 e 800 de segunda geração, que possuem um sistema para cabos ocultos, além de uma base de apoio com uma tecnologia embutida para carregamento sem fio para smartphones. A base é opcional, mas permite que o usuário deixe seu celular carregando sobre o apoio do AiO enquanto usa o PC normalmente. A base tem suporte para os principais padrões de wireless charging do mercado, Qi, PMA e A4WP. Os esquipamentos serão lançados com preços a partir de US$ 849.

A empresa revelou ainda os mini desktops EliteDesk 705 e 800 Desktop Minis, desenhados para se encaixarem em qualquer espaço dentro de escritórios. Com dimensões reduzidas, os PCs têm a mesma capacidade de processamento de desktops tradicionais em torre, com processador Intel Core de sexta geração ou AMD APU de sexta geração, mas podem ser montados atrás dos próprios monitores em estações de trabalho. Os desktops mini serão lançados a partir de outubro, por US$ 499.

HP

Base de apoio do AiO permite carregar smartphones através de wireless charging (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Por fim, a HP anunciou ainda a chegada da segunda geração de seu sistema de conferências HP Collaboration PC G2, essencialmente um EliteDesk 800 Mini carregado com um software e acessórios voltados para a realização de teleconferências corporativas. A HP estima que hoje 40% do tempo de funcionários de empresas seja gasto em ligações, reuniões ou conferências de negócios, e procura com o produto cavar um espaço nesse setor, principalmente entre pequenas e médias empresas. O sistema permite o compartilhamento sem fio para até quatro telas, além de suportar outros convidados extras como participantes. O Collaboration PC já é a segunda geração do sistema da HP, e deverá ser lançado neste mês, a partir de US$ 729.

HP

HP Collaboration PC G2 permite compartilhamento de até quatro telas durante conferências (foto: Rafael Romer/Canaltech)

A HP não confirmou datas de lançamento ou preço para os dispositivos no Brasil, mas afirmou que os novos produtos deverão ser fabricados também na planta da empresa no país, a partir de outubro.

*O repórter viajou à Cidade do México a convite da HP.