Grandes bancos mundiais estão trabalhando em nova tecnologia de transação online

Por Redação | 24 de Agosto de 2016 às 19h13
photo_camera Bitcoin

Embora o bitcoin não tenha feito sucesso entre os usuários, a tecnologia por trás das moedas virtuais, o blockchain, foi adotada pelos bancos no mundo todo. Enquanto o bitcoin é um sistema volátil e fácil de ser submetido a fraudes, o blockchain é apenas uma plataforma digital de transações efetiva, perfeita para ser adotada por bancos que buscam diminuir custos.

Para levar essa solução para um próximo nível, vários bancos se juntaram para criar sua própria rede de blockchain. O UBS, grupo que reúne bancos mundiais como Deutsche Bank, Santander, BNY Mellon e ICAP, começou a desenvolver a "Utility Settlement Coin" (Moeda de Utilidade de Transação, em tradução livre) ou USC, sistema monetário que foi feito não para funcionar como um meio termo entre moedas do mundo todo, mas sim para contar como "moeda refletora": no caso, cada USC vale o mesmo valor, independente de país ou moeda local (euro, real, yen, libra, etc).

De acordo com o CEO da Clearmatic (empresa que desenvolveu o conceito), Robert Sams, o projeto deve ser responsável por aumentar o potencial que a tecnologia de transações monetárias tem, em termos de acordos financeiros, gerenciamento de colaterais e transações em geral. Se isso for verdade, a mudança será enorme, uma vez que bancos e instituições financeiras ganham até US$ 80 bilhões anualmente nesses tipos de processos.

O UBS pode aumentar também a velocidade em que esses processos ocorrem, já que atualmente bancos precisam esperar uns bons dias até que acordos monetários sejam finalizados.

O sistema USC, porém, ainda não tem data para ser lançado.

Via: The Next Web

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.