GoPro demitirá 7% de seus funcionários e reverá previsões de faturamento

Por Redação | 14 de Janeiro de 2016 às 09h20
photo_camera Divulgação

A GoPro anunciou nesta quarta-feira (13) que está reduzindo em 7% sua força de trabalho. De acordo com a empresa, esse corte no número de funcionários tem como objetivo "alinhar melhor os recursos necessários para as principais iniciativas de crescimento" tocadas atualmente pela companhia.

Não foi informado quantas pessoas serão afetadas pelas demissões, mas até o final do ano passado a corporação tinha mais de 1.500 profissionais contratados. A dispensa deve gerar uma economia de até US$ 10 milhões em despesas de restruturação já no primeiro trimestre de 2016. Além disso, o vice-presidente sênior, Zander Lurie, renunciou ao seu cargo na GoPro Entertainment para se juntar ao conselho administrativo da empresa.

A fabricante de câmeras portáteis de ação também divulgou números preliminares sobre a projeção de vendas referentes ao quarto trimestre de 2015. Estes, por sua vez, ficaram abaixo das previsões de analistas devido à baixa procura pelos dispositivos durante as festas de fim de ano - a câmera HERO4 Session, por exemplo, teve seu preço reduzido por causa da queda na demanda, passando de US$ 399 para US$ 199. O aparelho foi lançado em julho de 2015.

Segundo a GoPro, o faturamento entre outubro e dezembro deve ser de US$ 435 milhões, contra os US$ 511,9 milhões esperados por analistas ouvidos pela Thomson Reuters. Só a redução de preço da HERO4 Session causou uma diminuição de US$ 21 milhões no faturamento da companhia, que tem sido ameaçada por outras fabricantes, principalmente marcas chinesas, que também estão investindo no mercado de câmeras de ação.

"O anúncio de hoje reflete as dificuldades que enfrentamos em 2015, principalmente relacionadas ao lançamento e ao preço da nossa HERO4 Session", disse o CEO Nick Woodman em um e-mail obtido pelo site Re/Code. "Enquanto nós claramente cometemos um erro ao vender a Session por US$ 399 (mais especificamente eu cometi o erro, foi minha decisão), estou orgulhoso pela forma como respondemos [ao mercado]. Reconhecemos o problema, ajustamos o preço para US$ 299... Reconhecemos que isso [ainda] não era suficiente e ajustamos novamente o valor para US$ 199, posicionando a Session como o melhor produto que já fizemos", completou.

A notícia do corte de funcionários e das projeções reduzidas da GoPro caíram como uma bomba em Wall Street e a companhia chegou a perder um quarto de seu valor de mercado em minutos. Após o fechamento do pregão, as ações da empresa despencaram mais de 26% na Bolsa de Valores de Nova Iorque, atingindo US$ 14,61 por ação.

Fontes: VentureBeat, Re/Code via Yahoo! Finance

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.