Google vai investir US$ 150 milhões para aumentar diversidade na empresa

Por Redação | 07.05.2015 às 17:14

Embora trabalhar em empresas de tecnologia mundialmente admiradas seja o sonho de inúmeros profissionais, fato é que essas companhias, assim como quase todas as outras, são compostas em sua maioria por homens e/ou brancos/asiáticos. O Google, por exemplo, divulgou no ano passado um relatório de que praticamente toda sua força de trabalho é do público masculino, e que quase todos os seus empregados são de origem branca ou asiática.

Só que a gigante das buscas está de olho nesse cenário e já adotou novas estratégias para aumentar a diversidade dentro da empresa. Isso porque a companhia de Sergey Brin e Larry Page anunciou que vai investir US$ 150 milhões em programas para aumentar o número de trabalhoras mulheres, negros e hispânicos em seus escritórios nos Estados Unidos. Além disso, a companhia pretende gastar 20% do tempo dos funcionários em prol de reuniões que vão discutir o preconceito inconsciente. Com isso, o Google espera melhorar a cultura e a diversidade em suas instalações.

De acordo com Nancy Lee, vice-presidente de operações pessoais no Google, a estratégia da empresa é focada "em longo prazo", cujo impacto deve acontecer "talvez neste ano, talvez no ano que vem". "Reconhecemos que não há talento suficiente ingressando em nossa indústria e, por isso, temos muito trabalho a fazer", comentou a executiva.

A iniciativa também quer descobrir novos talentos desde cedo, a partir de escolas e universidades. Para isso, a compannhia vai aumentar o número de instituições das quais recruta novos engenheiros. Outro ponto do programa de diversidade do Google é a inclusão de mais mulheres em sua força de trabalho e incentivar o público feminino a se interessar mais por programação, engenharia e outras áreas essenciais para o funcionamento do Google como um todo.

"Como uma empresa do nosso porte, mudanças como essas vão levar tempo. Nosso progresso será maior daqui para frente. Mais importante ainda, nossa indústria precisa se tornar mais inclusiva, e as oportunidades de grupos subrepresentados vai crescer. Em breve vamos compartilhar nossos dados atualizados de diversidade para 2015", disse Nancy.

Fontes: Blog do Google, USA Today