Google tem uma forma ultrassecreta de recrutar novos programadores

Por Redação | 27 de Agosto de 2015 às 11h26

Trabalhar em gigantes da tecnologia é o sonho de muitos profissionais, mas conseguir passar no processo seletivo dessas empresas não é nada fácil. Basta olhar o Google: nas entrevistas, os recrutadores costumam exigir respostas bem pensadas para perguntas um tanto esquisitas - "como você resolveria o problema de trânsito em São Paulo?" e "projete um plano de evacuação para São Francisco" são apenas alguns exemplos.

No entanto, um novo método adotado pela companhia para recrutar novos funcionários tem chamado atenção. Não apenas pela criatividade (e bizarrice), mas também porque o procedimento é baseado naquilo que fez do Google o que a companhia é hoje: as buscas na internet.

Vamos explicar. Max Rosett é um dos programadores recém-contratados pela gigante de Mountain View. Nesta segunda-feira (24) ele publicou um texto no site The Hustle explicando como foi selecionado pelo Google e sobre o processo seletivo pelo qual passou.

Rosett, que é formado em matemática e cursa atualmente mestrado em ciência da computação na Universidade de Tecnologia de Georgia, nos Estados Unidos, conta que trabalhava em um projeto pessoal envolvendo um problema de codificação. Foi quando ele recorreu ao Google e digitou na caixa de pesquisa as palavras "python lambda function list comprehension" para encontrar informações na linguagem de programação Python que o auxiliassem no tal projeto.

Só que, na hora de acessar os links mais relevantes, uma mensagem apareceu dizendo "Você está falando a nossa língua. Que tal um desafio?". Logo abaixo, Rosett poderia escolher entre três opções: aceitar o desafio, recusá-lo ou clicar em um botão para não mostrar aquele tipo de conteúdo novamente. Curioso, o programador topou participar da brincadeira e acabou redirecionado para o site google.com/foobar.

Google foo.bar

O design da página lembra uma interface UNIX. Após digitar um dos comandos para tentar acessar uma lista de arquivos, Rosett viu apenas um documento chamado "start_here.txt" ("comece aqui", na tradução livre), que continha as opções de digitar "request", para começar um novo desafio, ou "help", para exibir uma lista de comandos. Ao escolher a primeira, Rosett iniciou uma bateria de testes, sendo que a maioria exigia conhecimentos avançados de lógica e algoritmos.

Ele afirma que podia selecionar querer trabalhar com Java ou Python, mas que tinha 48 horas para resolver cada um dos cinco desafios propostos pelo site. Segundo o programador, todo o processo levou cerca de duas semanas.

Ao chegar no sexto problema, a página deu uma opção para que Rosett enviasse alguns dados de contato, como número de telefone e e-mail. Mesmo sem entender muito bem o que estava acontecendo, ele preencheu os campos com essas informações. E qual foi a surpresa dele ao ser contactado poucos dias depois por um recrutador do Google? Foi quando o rapaz recebeu um convite para uma entrevista na sede da empresa, na Califórnia, onde passou por outros testes - esses mais comuns e conhecidos entre os usuários.

Segundo Rosett, demoraram três meses do momento em que ele acessou o foo.bar até ser contratado pela companhia. Ele ainda disse que nenhum de seus amigos, alguns deles funcionários do Google, sabia sobre esse método de esconder todo um processo seletivo dentro do mecanismo de pesquisas da entidade. E mais: sequer desconfiavam que a empresa faz esse procedimento com base em termos específicos buscados pelo próprio usuário.

"O foo.bar é uma tática brilhante de recrutamento. O Google se baseou nele para me identificar antes mesmo de eu o fazê-lo e eles fizeram eu me sentir importante. Ao mesmo tempo, eles respeitaram minha privacidade e não entraram em contato comigo sem pedir minhas informações de forma explícita", declarou Rosett.

Google foo.bar

Procurado pela equipe do site Re/Code para comentar o assunto, um porta-voz do Google confirmou que faz esse tipo de teste e enviou a seguinte mensagem (em hex, não em Python), que quer dizer "Quebra-cabeças são divertidos. Pesquise por eles":

\u0050\u0075\u007a\u007a\u006c\u0065\u0073\u0020\
u0061\u0072\u0065\u0020\u0066\u0075\u006e\u002e\
u0020\u0053\u0065\u0061\ u0072\u0063\u0068\u0020\u006f\u006e\u002e

E antes que você tente acessar o foo.bar e passar pelo teste, já avisamos: os desafios só são liberados se durante a busca que você fez aparecer a mesma mensagem exibida para Rosett. Ainda não se sabe se esse processo está disponível em outros países onde o Google opera ou se só é válido para os Estados Unidos.

Fontes: The Hustle, Re/C

ode