Google recebe autorização para testar drones de entregas nos EUA

Por Redação | 03 de Agosto de 2016 às 11h11

O Google recebeu autorização da Casa Branca nos Estados Unidos para realizar testes com drones de entregas em parceria com a Agência Federal de Aviação (FAA). Os testes serão realizados em um dos seis locais designados pela FAA para que a empresa ganhe "experiência operacional plena de seu serviço de entrega em um ambiente de teste seguro", conforme comunicou o governo norte-americano nesta terça-feira (2).

A autorização para que a Alphabet possa desenvolver as tecnologias de seu Project Wing faz parte de uma série de iniciativas anunciadas pelo governo de Barack Obama, que tem como objetivo investir US$ 35 milhões durante os próximos cinco anos para impulsionar o desenvolvimento dos drones para uso comercial.

A equipe do Project Wing espera conseguir construir soluções para operar drones que estejam além do campo de visão dos operadores, além de desenvolver um sistema de controle de tráfego aéreo para aeronaves não-tripuladas com tecnologias de comunicação e de informação já existentes e que sejam de baixo custo. Os testes ainda incluirão o transporte de pacotes anexados na parte externa do drone, sendo avaliada a autonomia e a capacidade de sustentação dos drones, que poderão voar dentro de uma altitude de cerca de 120 metros.

A liberação para que a Alphabet possa testar o seu projeto é um importante avanço para as empresas que desejam trabalhar com voos comerciais de drones no futuro. A FAA, porém, tem se mostrado cautelosa com suas regulamentações que exigem, por exemplo, que qualquer aeronave não-tripulada fique dentro do campo de visão do operador, o que certamente não é muito bom para empresas que desejam utilizar essa tecnologia para fazer entregas.

Na próxima década, a indústria de drones tem potencial de gerar mais de US$ 82 bilhões para a economia dos Estados Unidos, além de criar até 100 mil postos de trabalho até 2025. Com a iniciativa de apoio ao desenvolvimento dos drones para uso comercial, o governo espera poder competir no setor com outros países e desencorajar empresas norte-americanas a realizem pesquisas e testes com drones no exterior, como é o caso da Amazon.

Via Digital Trends

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.