Google quer começar a produzir seus próprios smartphones ainda neste ano

Por Redação | 27 de Junho de 2016 às 10h11

O Google planeja uma nova investida dentro do mercado de smartphones. Mas por quê? O seu sistema operacional já está presente em quatro de cada cinco aparelhos vendidos em todo o mundo, o que já representa um bom domínio do segmento. No entanto, parece que isso ainda não é o suficiente para a empresa, que vê uma peça faltando dentro desse enorme e bilionário segmento: o hardware.

De acordo com o jornal inglês The Telegraph, a companhia pretende produzir o seu próprio smartphone e que o lançamento deve acontecer ainda neste ano. A ideia é ter mais controle sobre o processo como um todo, desde a parte de design e produção até o software, setor no qual ela já domina há algum tempo. Ainda segundo o periódico, Mountain View já estaria discutindo o assunto com operadoras móveis para fazer com que essa novidade saia do papel o quanto antes. Conforme revelado por algumas fontes do jornal, a ideia é lançar o aparelho no final de 2016.

Esse ousado movimento é uma clara resposta à sua principal concorrente, a Apple. Ao contrário da Maçã de Cupertino, o Google não domina todo o processo e se limita a fornecer o software para outras empresas. É verdade que isso permitiu que ela dominasse o mercado de sistemas rapidamente, mas parece que ela quer mais do que isso. Tanto que o lançamento da linha Nexus já foi um sinal bastante claro disso. Porém, ainda que assinados pela companhia, esses aparelhos ainda dependiam de outras fabricantes, como a LG e a Huawei. A ideia é que, a partir de agora, tenhamos algo 100% Google a caminho.

Google Nexus

Sem intermediários, ela passa a ter muito mais controle sobre tudo o que acontece com seus aparelhos. Como o próprio Telegraph aponta, essa pulverização do Android faz com que o Google se torne dependente de outras empresas na hora de lançar uma atualização para o sistema, além de também afetar seus outros produtos. Como aponta o analista de mercado da CCS Insight Ben Wood, há uma preocupação em fragmentar demais o Android e, por isso, a companhia precisa fazer com que a plataforma seja mais controlada, o que pode levá-la a seguir um caminho mais próximo da Apple.

E os sinais de que isso está cada vez mais perto de acontecer já começam a aparecer. Além dos próprios Nexus, a contratação do ex-presidente da Motorola, Rick Osterloh, para comandar a nova divisão de hardware é prova mais do que clara de que a produção de aparelhos passou a ser prioridade dentro dos escritórios da empresa. Além disso, no mês passado, o CEO da marca, Sundar Pichai, disse com todas as letras que a ideia é investir mais esforços em telefones, mas sem abrir mão do suporte à linha Nexus, a qual deve ganhar um novo aparelho neste ano pelas mãos da HTC.

Assim, é de se imaginar que devemos ver a Google atuando em duas frentes: de um lado, a parceria com outras empresas segue firme e forte, enquanto que, do outro, os smartphones produzidos pela própria empresa começam a aparecer no mercado.

Via: The Telegraph