Google quer acabar com necessidade de apps mobile usando o Progressive Web Apps

Por Redação | 09 de Agosto de 2016 às 11h39

Assim como no computador, o Google é dominante também no mundo mobile. Há cerca de dois anos, as pesquisas feitas por celulares e tablets ultrapassaram os números do desktop, que vem sendo deixado cada vez mais para trás. Mesmo assim, a gigante ainda está preocupada, pois, segundo dados da própria, 90% do tempo gasto nessas plataformas móveis é passado dentro de aplicativos.

Isso significa menos gente utilizando as ferramentas do próprio Google. E foi justamente para atender a essa necessidade que a empresa lançou os Progressive Web Apps, uma iniciativa de código aberto que tenta atravessar os limites entre o uso de um navegador e a utilização de aplicativos. Como um híbrido, ele permite experiências e funcionalidades semelhantes às de um software, entretanto, diretamente na web.

Para analistas de mercado, a iniciativa acaba sendo vantajosa principalmente para o mercado varejista. De acordo com uma pesquisa feita pelo BI Intelligence, 53% dos consumidores americanos preferem utilizar sites na hora de fazer suas compras, enquanto 31% citam preocupações de segurança ao fazerem isso, optando por usar a web no lugar dos aplicativos oficiais.

Fatores que não necessariamente competem aos varejistas também aparecem no topo do ranking. 28% dos entrevistados falaram que os softwares de empresas podem ocupar espaço demais no dispositivo, enquanto outros 19% afirmaram não estarem dispostos a baixar um aplicativo separado para cada loja. A web concentra todas essas experiências, então para que lotar o celular de soluções que serão usadas poucas vezes?

É justamente para atender a esse tipo de questão que existem os Progressive Web Apps. Pense neles de maneira semelhante aos aplicativos disponíveis para o Google Chrome, por exemplo, trazendo funções extras e permitindo até mesmo a criação de atalhos nos menus do sistema. Seria, basicamente, o máximo possível que as duas tecnologias poderiam se aproximar sem que, efetivamente, um software tenha que ser baixado.

Agora, para fomentar a tecnologia, o Google segue em um road show para mostrá-la para os desenvolvedores. Os encontros com produtores de software acontecerão em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá e outros países, com paradas marcadas também na Europa e África do Sul. Para a empresa, são nesses encontros que está o grande começo para a tecnologia, uma vez que, se as soluções existirem, os usuários farão uso delas.

Fonte: Business Insider