Google incrementa sistema de anúncios com foco em mobile

Por Redação | 24.05.2016 às 16:26

Celulares e geolocalização estão entre os pontos principais de uma série de novidades que o Google está acrescentando ao AdWords, seu sistema de compra e publicação de anúncios. Com foco no mundo mobile, as novas funcionalidades pretendem aumentar a relevância das propagandas exibidas a usuários específicos, com base em pesquisas feitas por eles e também o lugar onde estão.

A grande ênfase aqui se dá em buscas localizadas. Agora, por exemplo, os anunciantes podem optar por anúncios segmentados por região, que aparecem de acordo com as buscas de usuários sobre negócios nas redondezas. Uma cafeteria ou loja, por exemplo, pode ter destaque na hora de aparecer em resultados do Google ou outros serviços da empresa.

Outra novidade se aplica especificamente à plataforma de mapas. Os “pins promovidos”, como estão sendo chamados, permitem que negócios locais paguem para ter uma indicação específica no Google Maps, tornando sua identificação mais fácil e aumentando as visualizações. É uma boa, também, para negócios locais, que podem aparecer no serviço durante o modo de direção, por exemplo.

E para tornar as coisas mais simples para os anunciantes, o Google afirma que está trazendo informações de seu “próprio inventário”, ou seja, a ferramenta de buscas em si, para a plataforma. Assim, boa parte das informações sobre o negócio dos interessados, senão todas, já estarão preenchidas e disponíveis, bastando apenas pequenas correções e definições de abrangência para que um anúncio entre no ar e comece a ser exibido para os usuários.

Os limites de caracteres também estão sendo ampliados. Na visão do Google, anúncios com mais informações têm maior chance de atraírem o interesse dos consumidores. Sendo assim, as imagens estão ganhando maior destaque e os dados se tornam mais visíveis, de forma a atraírem mais cliques – a expectativa é de um incremento de 20%.

De acordo com a companhia, a ideia é aumentar o que eles chamam de “tráfego casual” pelos negócios, ou seja, compras ou visitas que não estavam nos planos originais dos usuários, mas que acabam sendo feitas a partir dos anúncios exibidos por proximidade. As buscas por localização e negócios nas redondezas, segundo o Google, crescem com uma velocidade 50% maior que outras categorias de pesquisa, o que a tornou um nicho bastante interessante também para os anunciantes.

Com isso, anúncios móveis ganham valores diferentes daqueles visualizados no desktop, e o anunciante poderá selecionar exatamente o tamanho do inventário para cada tipo de dispositivo, pagando preços mais adequados ao público que desejam atingir. As mudanças estão entrando em vigor pouco a pouco e por região, mas devem estar disponíveis a todos bem em breve.

Fonte: Techcrunch