Google expande divisão responsável pelo desenvolvimento de carros autônomos

Por Redação | 03 de Março de 2016 às 11h27

O carro autônomo do Google é notícia já há algum tempo, mas a companhia de Mountain View pretende que ele se torne uma realidade palpável para um maior número de pessoas muito em breve. Prova de que a empresa está comprometida a superar a fase “experimental” do veículo que dispensa motoristas é o grande número de pessoas com experiência na indústria automotiva presentes na equipe responsável pelo possante.

De acordo com a agência Reuters, toda a divisão conta com pelo menos 170 trabalhadores, dos quais mais de 40 listam trabalhos anteriores ligados ao desenvolvimento de veículos em seus perfis do LinkedIn, a rede social de negócios. As habilidades destes profissionais variam de design a manufatura de carros em empresas como Ford, General Motors e Tesla, entre outras, evidenciando os esforços do Google para levar seu carro autônomo adiante.

Como a própria agência de notícias esclarece, como o Google recusou a comentar os números relacionados à divisão do carro autônomo dentro da empresa, é razoável acreditar que vários trabalhadores não listem a participação neste projeto da companhia em seus perfis nas redes sociais, o que ampliaria ainda mais a equipe por trás do carro que se dirige sozinho.

Até 2020

É conhecida a informação de que o Google pretende ter pronta para comercialização a tecnologia de carro autônomo por volta de 2020. É difícil crer, porém, que a empresa vá fabricar seus próprios veículos, sendo muito mais provável algum acordo com montadoras ou mesmo com fábricas que darão vida aos carros e usarão apenas a tecnologia (e quem sabe mesmo a marca) do Google. Esta possibilidade é reforçada por especialistas da indústria, como Paul Mascarenas, ex-executivo da Ford e atual presidente da Federação Internacional das Sociedades de Engenharia (Fisita). Para ele, os profissionais com experiência em manufatura que trabalham na empresa podem servir como ponte entre ela e as montadoras.

Esta tarefa também pode ficar a cargo de pessoas que já lideraram equipes em outras companhias, como é o caso de John Krafcik, chefe de operações da divisão de carro autônomo do Google que anteriormente desempenhou este papel à frente da filial estadunidense da Hyundai Motor. Ou ainda Paul Luskin, executivo com passagens por empresas como Jaguar Cars, Ford e Denso Corp que atualmente também é diretor de operações dentro do Google. Tudo isso leva a crer que daqui a quatro anos a gigante da web começará a dar seus primeiros passos para se tornar uma gigante do mundo automotivo.

Fonte: Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.