Google e seus carros autônomos podem ser rivais do Uber em 2016

Por Redação | 16 de Dezembro de 2015 às 17h17
photo_camera Divulgação

O Uber pode ganhar um concorrente de peso no ano que vem. Isso porque, segundo informações da Bloomberg, o Google pretende separar sua divisão de carros autônomos da Alphabet e torná-la em uma empresa independente.

A reportagem afirma que a nova companhia vai oferecer, já a partir de 2016, um serviço de caronas semelhante ao que o Uber é hoje. Esta plataforma, que também funcionaria por meio de um aplicativo móvel, estaria em fase de testes desde fevereiro deste ano, e ganhou reforços ao longo gos meses com a contratação de especialistas do mercado automotivo. Um deles é John Krafcik, veterano da indústria automobilística e ex-CEO da Hyundai nos EUA que agora trabalha como diretor executivo da divisão de veículos da gigante das buscas.

Além disso, em agosto, durante o anúncio oficial de lançamento da Alphabet, o CEO Sergey Brin não descartou a possibilidade de outros braços da corporação atuarem por conta própria, incluindo os setores de robótica e de saúde. Logo, a ideia da companhia seria oferecer os mesmos serviços, mas dar mais autonomia às divisões responsáveis por cada produto.

Os veículos autônomos do Google já rodaram mais de 1,6 milhão de quilômetros em vias públicas das cidades americanas de San Francisco, Austin e Texas. As frotas do suposto serviço de caronas que deve ser lançado pela companhia incluiria tanto carros pequenos, como táxis e sedans, até modelos maiores, como ônibus. Eles seriam implantados primeiramente em áreas mais fechadas, como universidades, bases militares e escritórios corporativos.

Se o Google tem se esforçado para entrar nesse mercado de automóveis que se dirigem sozinhos, o Uber, em contrapartida, não está de braços cruzados. Nos últimos meses, a empresa gastou o equivalente a US$ 10 bilhões no desenvolvimento de tecnologias e contratação de profissionais para ajudar a impulsionar o negócio. Entre os nomes estão dezenas de pesquisadores autônomos e ex-funcionários do próprio Google, como Brian McClendon, ex-vice-presidente de engenharia da entidade. De acordo com o Business Insider, mais de 300 pessoas que atuavam no Google agora trabalham no Uber.

Há quase um ano, o Google anunciou que a primeira versão funcional de seu automóvel estava pronta para circular nas ruas. Desde então, a empresa continua com os testes, mas agora em ruas mais movimentadas e sujeito a situações reais que podem acontecer no dia a dia, como desviar de obstáculos, bicicletas e pedestres. O lançamento do veículo para o consumidor final deve acontecer apenas em 2017, ou quando a companhia tiver certeza de que a máquina é completamente segura para o transporte de passageiros.

Desde que começaram a ser testados no tráfego real, os carros do Google e de outras montadoras se envolveram em poucos acidentes. Ninguém saiu ferido.

Fontes: Bloomberg, Business Insider

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.