Google deve começar a usar o novo processador Power9 da IBM em seus servidores

Por Redação | 07.04.2016 às 07:13
photo_camera Reprodução/PC World

Parece que o reinado da Intel no Google está perto do fim. A gigante da web, em parceria com a Rackspace, está criando um novo servidor baseado no novo processador Power9 da IBM. O sistema, batizado "Zaius", foi anunciado no OpenPower Summit nesta quarta-feira (6) no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Com a novidade, a Intel fica em posição complicada. A empresa era a única fornecedora de tecnologia para os servidores do Google, que utilizavam os processadores Intel x86. Ao que parece, agora ela tem uma competidora respeitável.

Ao longo dos anos, o volume de dados no Google tem crescido de maneira intensa, e cada vez mais os data centers da empresa precisam ter a habilidade de suportar arquiteturas de múltiplas instruções, uma configuração heterogênea que permite que os servidores tenham mais dinamismo. A mudança é surpreendente, já que o Google sempre foi conhecido por manter os custos baixos ao utilizar a infraestrutura de maneira mais homogênea possível.

De acordo com o engenheiro de hardware de Mountain View, Maire Mahony, a arquitetura do Power9 oferece "suporte completo" às atividades da empresa, o que significa que seus desenvolvedores podem implantar aplicações mais rapidamente.

Mesmo com a iminente troca de tecnologia nos servidores, a Intel não está parada no tempo. A fabricante tem vendido chips Xeon personalizados para clientes de nuvem, e a aquisição da Altera permitirá que ela adicione aceleradores aos seus chips.

Todos os olhos voltados ao Power

Há duas características principais que chamam atenção no Power, de acordo com o engenheiro da Rackspace, Aaron Sullivan: a primeira é que a CPU é boa e entrega alta performance; a segunda é que a Lei de Moore não pode mais entregar ganhos suficientes de uma geração de processadores para a outra.

Encontrar novas maneiras de combinar memória, I/O e chips aceleradores como GPU são práticas que o Google está adotando, e fazer isso com o Power é mais fácil do que com o x86, afirma Sullivan.

Segundo informações divulgadas no evento, o Zaius irá oferecer suporte para interfaces de alta velocidade, incluindo a CAPI da IBM e NVLink da Nvidia. Isso facilitará a conexão da CPU a chips de aceleração.

Google e Rackspace também planejam inscrever o design do novo servidor no Projeto Open Compute, o que significa que outras companhias poderão utilizá-lo futuramente.

Via PC World