Google bate recorde em gastos com lobby nos Estados Unidos

Por Redação | 23 de Abril de 2015 às 08h51

Como uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, parece óbvio que o Google também estaria envolvido diretamente com a política interna dos países onde está sediado. E isso é particularmente verdade nos Estados Unidos, casa da gigante das buscas, onde ela acabou de bater seu recorde em gastos com lobby: US$ 5,5 milhões apenas no primeiro trimestre de 2015.

Todo esse investimento não parece nada surpreendente para uma empresa que, no ano passado, ficou na nona colocação no ranking de companhias que mais praticaram lobby junto ao governo. O Google ficou à frente até mesmo de órgãos públicos como a Câmara Americana de Comércio com um gasto total de US$ 16,8 milhões. Se seguir a tônica do primeiro trimestre, parece que a companhia vai ultrapassar em muito o total registrado em 2014.

Entre os assuntos mais discutidos pelo Google junto aos políticos estão mudanças nas leis de patentes de forma a proteger melhor os responsáveis pelas tecnologias, a luta a favor da neutralidade na rede e pedidos de redução de taxas de implementação de tecnologias de telecomunicações. Esse último aspecto estaria relacionado aos projetos da companhia relacionados à uma conectividade mais barata de banda larga.

Projetos de inclusão e diversidade também estiveram fortemente na agenda do Google. Entre os assuntos citados está todo um trabalho para facilitar a imigração de estrangeiros para os Estados Unidos. No Vale do Silício, já se acumulam as iniciativas voltadas para trazer mais pluralidade ao mercado de trabalho, com nomes como Facebook, Apple e Microsoft, além da própria gigante das buscas, trabalhando ativamente para dar maior representatividade a minorias em seus quadros de funcionários.

Normalmente associado a uma prática negativa, o lobby é comum nos corredores do governo dos Estados Unidos, que possui grandes laços com empresas privadas não apenas na passagem de novas legislações, mas também na modificação de leis atuais. É justamente por isso que relatórios como os liberados nesta semana são divulgados ao público, de forma que companhias e a própria administração pública possam acompanhar e dar mais transparência ao trabalho de lobistas e políticos do país.

Mas, mais do que isso, os investimentos junto à política dos Estados Unidos também pode significar a obtenção de aliados importantes em batalhas que acontecem fora do território americano. Como afirmaram representantes do Centro de Política Responsável, responsáveis pela divulgação do relatório, os altos gastos também podem significar posicionamentos favoráveis do Congresso dos EUA em relação a processos antitruste que estariam sendo conduzidos na Europa.

Enquanto tais questões já foram resolvidas em seu país de origem, a temperatura apenas está aumentando no Velho Continente, onde o Google é acusado de reduzir a relevância de concorrentes em resultados de buscas e se recusar a remover entradas caluniosas mesmo após pedidos dos afetados. Além disso, claro, existem as velhas citações a monopólio, principalmente no que toca o trabalho com o licenciamento de patentes a fabricantes de smartphones e outros eletrônicos.

O Google, claro, nega tais acusações e diz que vai responder judicialmente em relação a elas. Sobre o relatório de transparência e seus gastos com lobby, porém, a companhia não se pronunciou.

Fonte: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.