Conheça Gary Vaynerchuk, o investidor anjo do Facebook, Uber, Twitter e Snapchat

Por Stephanie Kohn | 09 de Maio de 2017 às 09h41
photo_camera Huffington Post

Gary Vaynerchuk sempre foi empreendedor, iniciando a jornada aos cinco anos de idade, quando vendia cartões de baseball por centenas de dólares por semana. Ele tem faro para os negócios e até então tudo o que tocou virou ouro. A empresa de vinhos que sua família criou, por exemplo, passou de um faturamento de três milhões de dólares anuais para US$ 60 milhões anuais durante sua gestão.

Com o Facebook, Twitter, Uber e Snapchat não foi diferente. Gary foi investidor anjo das startups no início de tudo, bem antes de reportarem resultados milionários. Ele conheceu Mark Zuckerberg depois de uma palestra em Palo Alto (Califórnia, Estados Unidos), em 2008. Eles mantiveram contato e, em 2009, o CEO do Facebook convidou pessoalmente Gary para se tornar investidor. O mesmo aconteceu com o Snapchat. O próprio COO do app o convidou a apostar na plataforma e, como ele acompanhou o nascimento do aplicativo, nem pestanejou.

Hoje, o empreendedor toca a VaynerMedia, uma das maiores empresas de social media e marketing digital do mundo. A agência já é estimada em US$ 100 milhões e deu a ele mais exposição do que nunca. Ele foi convidado a participar de um reality show produzido pelo iTunes, ao lado de estrelas hollywoodianas empreendedoras como Jessica Alba, Gwyneth Paltrow e will.i.am. Chamado de 'Planet of the apps', o programa conta com a ajuda dos jurados na avaliação de ideias de novos aplicativos.

Gary disse em entrevista à Forbes que vive pensando no futuro e nas oportunidades que podem surgir. E talvez este seja seu grande segredo. “Eu imagino como será o mundo quando meus filhos tiverem 18 anos e quando eu vou poder comprar jatos em vez de carros. Eu acredito que sempre me dei bem porque tive habilidade de entender o comportamento do consumidor”, comentou.

Para o ‘caçador de tendências’, a característica mais importante para um aspirante a empreendedor é ter autoconsciência. “O tempo é um dos bens mais preciosos da vida e nenhum de nós deve desperdiçá-lo perseguindo um sonho que nunca se tornará realidade. Uma vez que você descobre quem você é e se aceita, tudo muda. Eu queria ser um monte de coisas, mas são desejos e não realidade. A Beyoncé, sem dúvida, nasceu com mais talento que eu para cantar. Tenho certeza que mesmo estudando anos de canto ainda vou ficar abaixo da média. O que percebi é que eu tinha mais talento no ramo empresarial do que os outros, então segui em frente”, finalizou.

Fontes: Forbes, Entrepreneur e Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.