Ganhos do CEO da Dell caíram US$ 11 bilhões desde que a empresa se privatizou

Por Redação | 31.03.2016 às 20:01

Quer saber mais sobre a (gorda) conta bancária do bilionário Michael Dell? Pois esse é seu dia de sorte. A empresa dele divulgou várias informações sobre as operações da Dell em uma documento enviado ao Departamento de Segurança e Comissão de Câmbio dos Estados Unidos.

As informações foram divulgadas para dar continuidade ao processo de aquisição da EMC pela Dell. Em resumo, os dados divulgados são interessantes.

Por exemplo, a Dell relatou uma perda de US$ 1,1 bilhão (cerca de R$ 3,9 bilhões) no ano fiscal de 2016, número melhor do que a perda de US$ 1,2 bilhão (cerca de R$ 4,3 bilhões) no ano anterior. Os documentos também mostram os bônus e salários pagos ao executivos da empresa, incluindo Michael, fundador e CEO.

A compensação executiva mudou muito desde que a empresa se privatizou. No ano passado, Dell foi pago apenas US$ 2 milhões (cerca de R$ 7,1 milhões), um valor muito baixo se consideramos que a Dell tem um valor de revenda de US$ 55 bilhões (cerca de R$ 197,6 bilhões). A quantia fica ainda mais pífia se comparamos os ganhos em 2016 de Sundar Pichai, CEO do Google.

Apenas um dos executivos nomeados no documentos pegou um valor bom das ações. O resto teve que se virar com seus salários base e alguns milhões em bônus.

Colocando os números em perspectiva com os dados da época em que a Dell era pública, é possível perceber que as coisas eram melhores em termos de salário. Os bônus era menores, mas os valores das ações compensavam isso tranquilamente. Por exemplo, antigamente o vice presidente de operações e soluções para consumidores, Jeffrey W. Clarke, recebia pouco mais de US$ 1 milhão em bônus. Agora, o valor não chega nem a US$ 30 mil.

Fonte: Business Insider