Fundadores do Ebay e do LinkedIn querem "brecar" a Inteligência Artificial

Por Redação | 10 de Janeiro de 2017 às 22h17
photo_camera DNA Films/Universal Filmes/Film4
TUDO SOBRE

LinkedIn

No mundo da tecnologia, nem todos os executivos de grandes empresas aprovam a criação e desenvolvimento de inteligências artificiais que beirem o conhecimento e/ou comportamento humano. Reid Hoffman, fundador do LinkedIn, e Pierre Omidyar, fundador do eBay, conseguiram levantar US$ 10 milhões para financiar a pesquisa acadêmica e o desenvolvimento para "brecar" o desenvolvimento indiscriminado da inteligência artificial. A ideia é conscientizar a robótica e a tecnologia de simulação para evitar que, no futuro, robôs e máquinas se voltem contra a nossa sociedade.

O fundo, até o momento filantrópico e batizado de "The Ethics and Governance of Artificial Intelligence Fund", ainda conseguiu US$ 5 milhões da Knight Foundation, fora doações que acumularam o montante em um total de US$ 27 milhões. A expectativa é conseguir angariar cada vez mais investidores, para bancar as pesquisas que vão ocorrer no Media Lab do MIT e no Berkman Klein Center, de Harvard, para Internet e Sociedade.

Bom, nós sabemos que a inteligência artificial nos traz grandes benefícios, já que pode ser aplicada em diversas áreas, como games, educação e medicina. No entanto, vários especialistas estão fazendo coro ao que pensa Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, e a Casa Branca: sistemas inteligentes demais têm potencial para acabar resultando em uma catástrofe.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"Um dos desafios mais críticos é ter certeza de que as máquinas que treinamos não se perpetuem e amplifiquem todo tipo de viés que ameace nossa sociedade", disse Joi Ito, diretor do Media Lab, do MIT.

O capital vai financiar o trabalho de especialistas para investigar como sistemas de inteligência artificial socialmente responsáveis podem ser projetados para manter o foco em áreas benéficas à humanidade, como educação, transporte e justiça. O grupo ainda espera explorar maneiras de falar com o público e entender toda a complexidade por trás de sistemas avançados de IA.

Com informações do Recode

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.