Funcionários de empresa que fabrica o iPhone 7 estão trabalhando excessivamente

Por Redação | 26 de Agosto de 2016 às 08h23

Apesar do absurdo, não é exatamente uma novidade o fato de que fábricas de eletrônicos na China mantêm seus funcionários em condições inaceitáveis de trabalho, muitas vezes em regimes análogos à escravidão. E a Apple já foi alvo (mais de uma vez) de investigações em fábricas de companhias que produzem peças e componentes para seus dispositivos. A denúncia da vez diz que trabalhadores da Pegatron, que estão fabricando o iPhone 7, estão trabalhando excessivamente, com jornadas de trabalho muito além do humanamente aceitável.

A fábrica taiwanesa está sendo acusada de sobrecarregar mais de 100 mil trabalhadores, que têm sido forçados a trabalhar em horas extras excessivas e ilegais, de acordo com o China Labor Watch, que disponibilizou um relatório em seu site. No ano passado, em média, esses trabalhadores acabaram trabalhando absurdas 80 horas a mais do que deveriam, e mais de 62% dos funcionários da fábrica acumularam mais de 100 horas extras somente em março de 2016. Além disso, o CLW também apurou que os empregados têm começado seus expedientes com 10 minutos de antecedência para “pegarem no tranco”, mas esse período não é computado nas horas trabalhadas. Ou seja, além de fazerem essa quantia gigantesca de horas extras, ainda trabalham dez minutos por dia sem pagamento.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Como se a denúncia não fosse grave o suficiente, também foi apurado que os funcionários da Pegatron que estão fabricando o iPhone 7 também estão recebendo menos dinheiro do que deveriam pelo seu trabalho - ao menos em comparação com a média local. Em 2015, o salário médio para esse tipo de função em Xangai ficou em US$ 895 por mês, mas os funcionários da Pegatron recebem cerca de US$ 633 mensais, e mais de 96% deles não chegam a receber um salário mínimo no total.

A Apple estipula que seus trabalhadores tirem pelo menos um dia de folga por semana e que não trabalhem mais do que 60 horas, mas, procurada pela reportagem do site Quartz, a companhia não se pronunciou a respeito das condições de trabalho dos funcionários de fábricas parceiras. Para o CLW, “terceirizando a produção, a Apple reduz seus custos de produção, mas isso só é possível pela exploração de funcionários e a Apple é a verdadeira causa da deterioração das condições de trabalho.”

Fonte: Quartz

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.