Funcionários de empresa do Google reclamam de prazos curtos e trabalho excessivo

Por Redação | 17 de Fevereiro de 2016 às 16h35

Em 2014, o Google investiu US$ 3,2 bilhões para adquirir a Nest, uma startup responsável por desenvolver produtos para casas inteligentes. De lá para cá, a empresa vem se mantendo até certo ponto bastante discreta dentro desta enorme sopa de letras que é a Alphabet, empresa mais valiosa do mundo e que é dona do Google e de várias outras iniciativas.

Entretanto, apesar disso, o ritmo de trabalho da Nest é pesado, o que vem criando um enorme desgaste entre a companhia e seus funcionários. Em uma das tradicionais reuniões realizadas às quintas-feiras entre trabalhadores do Google e os dois cofundadores do buscador mais famoso do mundo, Sergey Brin e Larry Page, e também outros figurões da empresa, um trabalhador da Nest quis saber a razão pela qual funcionários foram escalados para trabalhar também aos finais de semana durante meses ao longo do ano de 2015.

A resposta foi dada por Matt Rogers, cofundador do Nest, que basicamente tergiversou, afirmando que as coisas costumam ser assim quando se trabalha com desenvolvimento de hardware. O posicionamento não foi o suficiente para alguns funcionários, que externaram a sua decepção em conversas com a imprensa. “Ele não tomou conhecimento de que isso era uma coisa ruim e não assumiu nenhuma responsabilidade”, comentou um trabalhador da Nest ao Business Insider. “E, em último caso, se você convoca pessoas para trabalhar aos finais de semana, não é culpa do trabalhador, é culpa dos superiores.”

Matt Rogers

As respostas de Matt Rogers (esquerda) não têm sido suficientes. (Foto: Steve Jennings)

“É sempre hora de crise”

Ao que tudo indica, o panorama pode ser ainda pior dentro desta divisão do Google. De acordo com três ex-funcionários, o lema “é sempre hora de crise”, uma piada interna entre os trabalhadores, deixa bem claro como é o clima dentro da empresa, com prazos irreais e uma hierarquia de trabalho bastante rígida.

Vale lembrar que a Nest é um exemplo desta nova fase de como as cosias se organizam dentro da Alphabet: companhias independentes entre si, com seus próprios presidentes e projetos individuais, ou seja, não há interferência direta dos chefões do Google nestes processos. De qualquer forma, se por um lado vários ex-funcionários enxergam um potencial enorme no que é desenvolvido dentro da Nest, estas mesmas pessoas também reconhecem a falta de organização, os problemas em seus produtos e também a debandada de funcionários. O Google tem muito trabalho a fazer por aqui ainda.

Fonte: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.