Foxconn pode expandir suas operações nos Estados Unidos

Por Redação | 07.12.2016 às 16:34
photo_camera Mashable

Nesta quarta-feira (07), a Foxconn, uma das maiores fabricantes terceirizadas de eletrônicos do mundo, está pensando em expandir suas operações nos Estados Unidos. E o presidente eleito dos Estados Unidos está envolvido nessa conversa.

Depois de sugerir um boicote à Apple durante sua campanha, Donald Trump, disse que seria uma grande conquista ajudar a empresa a construir uma fábrica nos Estados Unidos. Além disso, Trump também prometeu ao CEO Tim Cook reduções fiscais como incentivo para que os iPhones comecem a ser fabricados no país de origem da Maçã.

Com toda essa movimentação presidencial, rumores indicaram que a Apple começou a considerar a possibilidade de fabricar o seu famoso smartphone em território norte-americano. Agora, a novidade da vez é que a chinesa Foxconn, uma das maiores parceiras da Apple na fabricação do iPhone, está conversando com autoridades dos EUA a respeito da criação de novas fábricas de produção no país.

Masayoshi Son, CEO da japonesa SoftBank, disse que vai investir US$ 50 bilhões nos Estados Unidos e criar 50.000 novos postos de trabalho. Trump diz que isso é um resultado direto da sua vitória eleitoral, uma vez que antes do anúncio de Son, os dois haviam se encontrado.

A foto de um papel divulgada após o acordo de investimento, com o logotipo da Foxconn e do SoftBank Group, deu indícios de que a fabricante terceirizada do iPhone também vai gerar 50.000 novos empregos nos Estados Unidos e investir US$ 7 bilhões no país.

Sem dúvidas essa seria uma grande vitória de Trump, que teve como base da sua campanha eleitoral a promessa de trazer novos empregos para os Estados Unidos, bem como tirar a fabricação de eletrônicos da China e levá-las para o país.

Atualmente, a Foxconnn já tem fábricas nos estados norte-americanos da Virgínia e Indiana. O relatório anual de 2015 da empresa também listou serviços de logística na Califórnia e no Texas.

Via Reuters