Falha no Apple Watch facilita revenda do aparelho por criminosos

Por Redação | 15 de Maio de 2015 às 09h08
photo_camera Divulgação

Quase todos os dispositivos com hardware mais avançados vendidos atualmente possuem o chamado "kill switch", ou "botão da morte", que inutiliza o aparelho em casos de roubo ou furto. O recurso não protege apenas as informações guardadas no aparelho, mas também o inutiliza se os criminosos quiserem vendê-lo novamente. Ao que tudo indica, o Apple Watch, o gadget mais recente da Apple, não conta com essa função e pode facilitar a ação de ladrões que revendem produtos ilegalmente.

De acordo com o iDownloadBlog, que identificou a situação, não se trata especificamente de uma falha, mas sim da falta de ferramentas de segurança que deveriam estar presentes no relógio inteligente da Apple. Além de não oferecer o botão da morte, o smartwatch ainda não tem nenhum app específico dessa natureza que possa ser baixado - como acontece com o Find My iPhone, por exemplo -, nem GPS embutido, o que impede sua localização.

O erro em questão está na possibilidade de redefinir as configurações de fábrica do acessório. Vamos imaginar que um bandido assalta um usuário na rua e rouba dele o Apple Watch. Ao efetuar o procedimento encontrado pelo iDownloadBlog, que dura menos de um minuto e dispensa a necessidade de digitar senhas, ele pode resetar todas as configurações, parear com um outro iPhone e vendê-lo como se fosse um relógio novo.

Embora a maioria das informações do dono original fique armazenada no celular, a falha impressiona pela facilidade com que se pode redefinir um Apple Watch. Primeiro, deve-se pressionar o botão na lateral direita para acessar as configurações do aparelho. Depois, mantenha pressionada a função "Power Off" (desligar, na tradução livre) para abrir uma nova janela com a opção "Erase all content and settings" (apagar todo o conteúdo e configurações), que é habilitada mesmo sem ter digitado o código de segurança.

Feito isso, basta conectar o relógio a uma fonte de energia e confirmar a operação duas vezes para que o smartwatch reinicie e exija um iPhone por perto para configurar tudo de novo. O passo a passo também pode ser assistido no vídeo abaixo:

Oficialmente, a Apple ainda não se manifestou sobre o assunto. Contudo, é provável que uma atualização seja disponibilizada para corrigir o problema - ou, quem sabe, minimizar seus efeitos, já que sem geolocalização ou botão da morte fica mais fácil para os criminosos revenderem um aparelho fazendo ele se passar por algo novo.

Fontes: Business Insider, iDownloadBlog

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!