Facebook é eleita a melhor empresa para se trabalhar nos Estados Unidos

Por Redação | 28.04.2015 às 08:12

Muitas empresas de tecnologia estão na mira de quem procura o famoso "emprego dos sonhos"; e isso não acontece à toa. O Business Insider divulgou nesta segunda-feira (27) uma lista com as 50 melhores empresas para trabalhar dos Estados Unidos e as companhias do setor saíram na frente.

A maioria das pessoas pensa que é preciso escolher entre trabalhar com aquilo que ama e ganhar dinheiro, mas essa pesquisa provou que não é bem assim. O ranking foi idealizado com base em seis critérios: alto nível de satisfação dos funcionários, baixo nível de stress no trabalho, capacidade de comunicação, alto significado do trabalho, média salarial e variação salarial. Os dados relacionados ao pagamento foram obtidos com exclusividade por meio do site PayScale, que pesquisa e compara os salários de diversas empresas.

O grande campeão

O Facebook é conhecido por oferecer uma série de coisas legais para seus colaboradores, isso sem contar os salários impressionantes e a grande cultura corporativa da empresa; portanto, não é nenhuma supresa que ela ocupe o topo da lista do Business Insider. Este ano, a rede social superou até mesmo a gigante Google, que ocupou o segundo lugar.

Mark Zuckerberg logo Facebook

Em 2004, quando Mark Zuckerberg lançou o site quando era apenas um estudante de 19 anos de Harvard que queria revolucionar a forma como as pessoas socializavam e se comunicavam, mas é muito difícil imaginar que ele tenha pensado que sua empresa chegaria onde está. Conhecida pela inovação e criatividade, a empresa por trás da maior rede social do mundo conta com cerca de 10 mil funcionários e mais de um bilhão de usuários ativos.

Uma rápida olhada na sua página de vagas disponíveis já mostra o espírito do Facebook: "Não temos regras". Grande parte das paredes do escritório localizado na Califórnia, por exemplo, são revestidas por obras produzidas pelos colaboradores da empresa, um pequeno indício de que eles são encorajados a exercer sua criatividade no sentido mais amplo da palavra.

Outro destaque da cultura empresarial do Facebook é que Mark Zuckerberg tenta levar o seu conceito de conectar as pessoas também para dentro de seus escritórios. Toda sexta-feira, o CEO divulga uma série de perguntas e respostas para atualizar sua equipe e abordar suas dúvidas e preocupações.

"As pessoas fazem perguntas sobre por que a nossa empresa está indo em determinadas direções, o que eu penso sobre as coisas que acontecem no mundo e como podemos continuar a melhorar os nossos serviços. Eu aprendo muito com esses Q&A (perguntas e respostas) e as questões que as pessoas fazem nos ajudam a construir serviços melhores", contou Zuckerberg.

Outro grande diferencial da empresa são seus benefícios e regalias. O Facebook oferece praças de alimentação gourmet gratuitas para seus funcionários, uma parede de escalada, médicos e quiropráticos estão à disposição nos escritórios, serviços de lavanderia e limpeza a seco também são oferecidos, além de bicicletas a disposição em seu campus e quatro meses de licença parental remunerada (um adicional de US$ 4 mil em dinheiro por filho). Um jardim suspenso e piscina de bolinhas também fazem parte do dia a dia de quem trabalha na sede da empresa em Menlo Park.

"Nosso objetivo era criar um local perfeito para que nossos funcionários possam trabalhar juntos. Queríamos um espaço capaz de criar o mesmo senso de conexão e comunidade que as nossas equipes tentam elaborar com os nossos serviços por todo o mundo", explicou o CEO da companhia.

Facebook sede

Escritório do Facebook em Menlo Park, Califórnia

Graças a essas e outras tradições, a PayScale relata que 81% dos funcionários do Facebook acreditam que seus empregos são realmente significativos. Além disso, 93% dos colaboradores da empresa estão satisfeitos com o seu tabalho.

Os salários competitivos também exercem um papel importante nessa felicidade corporativa. De acordo com a PayScale, o salário médio dos trabalhadores com cinco anos de casa é de US$ 135 mil anuais e estagiários podem chegar a ganhar impressionantes US$ 7 mil por mês.

Empresas de tecnologia se destacam na lista

Apesar de merecer destaque pelo primeiro lugar no ranking das 50 melhores empresas para se trabalhar nos Estados Unidos, o Facebook não foi a única empresa do setor de tecnologia a aparecer na lista. O Google, por exemplo, ocupou o segundo lugar.

A gigante da Internet manteve a mesma posição alcançada em 2013 e agora se recupera após ter caído para oitavo lugar no ano passado. Com mais de 53 mil funcionários, o Google oferece uma série de benefícios, como transporte gratuito para o trabalho com direito à Wi-Fi grátis no percurso, refeições saudáveis e gratuitas, lavanderia e academia.

Com sede em Mountain View, Califórnia, os funcionários do Google relatam 84% de satisfação com seu emprego e ganham um salário médio de US$ 133 mil anuais depois de cinco anos na empresa.

Se quiser conhecer um pouco mais do chamado Googleplex, confira a viagem que o Canaltech fez ao Vale do Silício.

google

A

Cisco

também apareceu no ranking. Ocupando o 7º lugar, a empresa que tinha caído fora da lista no ano passado retorna com uma avaliação muito melhor do que o seu 29º em 2013. Com sede em San Jose, Califórnia, a Cisco emprega cerca de 74 mil engenheiros de computação, profissionais de TI, consultores, entre outros funcionários. Quase 75% dos trabalhadores podem trabalhar remotamente e o salário médio é de US$ 123 mil anuais depois de cinco anos de casa.

Em 10º lugar está a NetApp, uma empresa de armazenamento e gerenciamento de dados. 42% dos quase 13 mil funcionários da companhia com sede em Sunnyvale, Califórnia, podem trabalhar de casa. Eles ainda podem tirar proveito de férias remuneradas, licença médica e até mesmo dias dedicados ao voluntariado. O salário médio após cinco anos de trabalho é de US$ 123 mil anuais.

Apesar de ter ficado de fora da lista do ano passado, a

Microsoft

voltou para ocupar a 14ª posição em 2015. Uma das companhias de tecnologia mais cobiçadas para se trabalhar, a empresa de Redmond oferece um salário médio de US$ 123 mil anuais para funcionários com experiência mediana e 41% dos colaboradores têm a opção de trabalhar remotamente.

A empresa de semicondutores

Qualcomm

tem apresentado uma queda nos últimos anos: de 4º lugar em 2013 para 13º em 2014 e finalmente 17º em 2015. Apesar disso, 76% dos funcionários ainda relatam alta satisfação com seu trabalho e ganham salários competitivos para o setor, uma média de US$ 115 mil anuais para os mais experientes. Atualmente, a Qualcomm emprega pouco mais de 31 mil pessoas.

A Celanese, uma empresa de tecnologia global e materiais especiais, ficou com o 18º lugar, com uma taxa de 78% de satisfação no trabalho entre os seus 7.500 funcionários. O salário médio de quem trabalha na empresa do Texas há mais de cinco anos é de US$ 104 mil por ano.

Neste ano, a Symantec subiu 13 pontos na lista e apareceu na 19ª posição. Com 57% dos seus 21 mil funcionários tendo a opção de trabalhar de casa, a empresa sediada em Mountain View, Califórnia, paga uma média salarial de US$ 110 mil/ano.

A

Apple

não ficou de fora do ranking e foi classificada como a 23ª melhor empresa dos Estados Unidos para se trabalhar, de acordo com o Business Insider, mas levou o quinto lugar no ranking da Fortune 500. A empresa de Cupertino emprega atualmente cerca de 92 mil pessoas e seus funcionários mais experientes ganham cerca de US$ 118 mil por ano e relatam uma taxa de 74% de alta satisfação no trabalho.

Novo Campus Apple 2

Projeto do Campus 2 da Apple

Com sede em Santa Clara, Califórnia, a

Intel

estava ausente na lista do ano passado, mas esse ano a fabricante de semicondutores saltou 16 pontos da lista de 2013 e ficou em 24º lugar. 75% dos cerca de 107 mil funcionários da empresa dizem estar altamente satisfeitos com o seu emprego e o salário médio fica em torno de US$ 109 mil/ano.

Já a EMC, especializada em armazenamento de dados, emprega cerca de 63.900 pessoas e foi eleita a 28º melhor empresa dos EUA para se trabalhar em 2015. O salário médio é de US$ 110 mil por ano depois de cinco anos na casa e o objetivo maior da companhia é estimular o crescimento da carreira de seus colaboradores. Para isso, ela oferece programas de mentoring e aulas de aprendizagem contínuas.

Ainda falando do setor de tecnologia, a

eBay

ocupou a 41ª posição do ranking. Com 44% dos seus 33.500 funcionários tendo a opção de trabalhar remotamente, a empresa de comércio eletrônico subiu cinco pontos em comparação à lista do ano passado. O salário médio de funcionários mais antigos gira em torno de US$ 118 mil anuais.

O setor de telecomunicações foi representado pela

Motorola Solutions

, que emprega mais de 21 mil funcionários, dentre os quais 58% podem trabalhar remotamente. Em 46º lugar, o salário médio de funcionários que trabalham há mais de cinco anos na companhia é de US$ 100 mil e 73% de toda a força de trabalho da companhia diz estar satisfeita com o emprego.

Por fim, temos a

Advanced Micro Devices (AMD)

em 47º lugar. Na empresa norte-americana fabricante de circuitos integrados, os funcionários são incentivados a forçar seus limites constantemente para criar novas tecnologias. Esse espírito inovador pode ter ajudado a companhia a atingir 70% da satisfação dos seus 11 mil funcionários. Após cinco anos de trabalho, os colaboradores da AMD ganham um salário médio de US$ 112 mil por ano.

AMD