Ex-funcionário é acusado de fraudar US$ 1 mi em vale presentes da Apple Store

Por Redação | 22 de Outubro de 2015 às 09h03

Um ex-funcionário da Apple Store nos Estados Unidos foi preso e é acusado de fraudar a aquisição de quase US$ 1 milhão em vale presentes da loja da Maçã. Ruben Profit começou a trabalhar em uma filial da loja em Nova York em abril de 2013, sendo transferido para a loja do shopping Elmhurst em julho do mesmo ano.

De acordo com as autoridades do país norte-americano, Profit utilizou cartões de débitos, de crédito e pré-pagos falsos para adquirir uma quantidade enorme de vale presentes. O valor total dos cartões comprados pelo ex-funcionário foi de US$ 997 mil.

No começo do mês de outubro, a Apple começou a investigar as sequentes notificações de charge-backs nas compras realizadas na loja — este é o nome dado ao procedimento de cancelamento de uma compra feita com cartão de crédito ou de débito, algo que pode ocorrer quando o proprietário do cartão não reconhece a transação ou quando ela viola os termos de uso de um contrato entre banco/operadora e cliente.

Procedimento minucioso

Ainda segundo as investigações conduzidas pelas autoridades, Profit recodificava de forma fraudulenta cartões de presentes das bandeiras Visa e American Express com informações de cartões de crédito. Assim, ele conseguia realizar a compra, que era concluída, mas, depois, não debitada (e o prejuízo ficava com a loja).

No momento da prisão, o rapaz estava com 51 cartões fraudados desta maneira. Além disso, possuía ainda sete cartões de presente da Apple, cada um no valor de US$ 2 mil. Em depoimento à polícia, ele revelou que vendia cada vale presente de US$ 2 mil por US$ 200. Caso seja condenado, a pena de Profit pode chegar a 15 anos de prisão.

Fonte: NBC New York

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!