Ex-executivo da Apple revela que companhia considerou fabricar um carro em 2008

Por Redação | 04.11.2015 às 14:55
photo_camera Eric Piermont/Getty Images

Em 2008, a Apple considerou fabricar carros — pelo menos é o que afirma Tony Fadell, ex-vice-presidente sênior da empresa e um dos responsáveis por desenvolver o iPhone e o iPod junto de Steve Jobs. Em entrevista ao Bloomberg, o atual presidente-executivo da NestLabs revelou conversas centre ele e o guru da empresa de Cupertino em relação à concepção de um iCar.

À publicação, Fadell revela que ele e Jobs trocaram algumas ideias sobre design de veículos naquele período, levantando algumas questões sobre como seria um possível carro da Apple. “Se fôssemos criar um carro, o que construiríamos? Como seria o painel? Como seriam os assentos? Você usaria combustível ou energia?”, comenta o executivo.

Apesar da possibilidade soar interessante e até certo ponto plausível diante daquilo que é a Apple, o contexto impediu que a ideia germinasse dentro da empresa. Os problemas da indústria automobilística dos Estados Unidos no final da década passada e também os esforços da Apple em torno de consolidar o iPhone foram responsáveis por enterrar os planos do iCar.

Tony Allen

Tony Allen, ex-executivo da Apple, afirmou que Jobs considerou fabricar um iCar. (Foto: Eric Piermont/Getty Images)

De lá para cá, a ideia aparentemente não foi abandonada. Nos últimos tempos, a Apple tem dado sinais de que um projeto envolvendo a fabricação de veículos próprios está sendo elabora. Exemplos disso são as contratações de centenas de engenheiros e especialistas em robótica e baterias.

Para alguns especialistas, é só questão de tempo até termos mais novidades sobre o assunto e é provável que a Apple inicie a produção de um veículo próprio em 2020. Para Fadell, a companhia tem experiência para entrar neste novo mercado. “Um carro tem bateria, tem computador, tem motor e tem estrutura mecânica. Se você olhar para um iPhone, ele tem exatamente as mesmas coisas”, comenta o ex-executivo da Maçã.

Quem sabe os próximos movimentos da empresa fundada por Steve Jobs e Steve Wozniak já não indiquem este novo caminho.

Fonte: Bloomberg