EUA recebe mais de 130 pedidos de exceção ao banimento da Huawei

Por Felipe Demartini | 28 de Agosto de 2019 às 10h30

O governo dos Estados Unidos já teria recebido mais de 130 pedidos de exceção relacionados ao banimento da Huawei, todos de empresas norte-americanas que desejam continuar trabalhando com equipamentos da marca ou que veem a necessidade de negociar com ela para a continuidade das próprias operações. As informações não são oficiais, mas foram publicadas pela agência Reuters, junto com a notícia de que todas as solicitações ainda estão em processo de análise e que nenhuma delas foi aprovada até agora.

A alta quantidade de solicitações de licença é um reflexo direto não apenas do banimento da Huawei, que foi proibida de atuar nos EUA e também com empresas que tenham operação no país, mas também de declarações do presidente Donald Trump. Em junho, ele afirmou que exceções seriam concedidas nos casos em que a participação da Huawei fosse imprescindível, mas que as situações seriam analisadas caso a caso e aprovadas apenas se não representarem risco à segurança nacional.

A preocupação é quanto a uma disruptura nos negócios de companhias que atuem, por exemplo, no mercado de chips ou telecomunicações. Por outro lado, há também um temor relacionado às mensagens contrastantes de Trump sobre o assunto. Issp porque, em alguns momentos, ele indica a possibilidade de um acordo com a China sobre a Huawei. Já em outros, sinaliza um prolongamento no banimento, com a inclusão de mais subsidiárias da empresa. O Departamento de Comércio, responsável pelas análises, permanece de mãos atadas enquanto isso, sem uma orientação clara do que fazer.

Oficialmente, entretanto, a resposta do governo é de que as análises do processo estão caminhando. O porta-voz do Departamento de Comércio americano não disse quantas solicitações estão na fila, mas confirmou que as investigações estão andando em prol de uma liberação ou não de alguns solicitantes para que voltem a fazer negócios com a Huawei. Um prazo para as primeiras liberações, entretanto, não foi dado.

Enquanto isso, a expectativa é de perda de dezenas de bilhões de dólares neste ano relacionadas ao banimento. O mesmo também vale para a Huawei que, apesar de estar trabalhando em alternativas e mostrando-se confiante quanto à obtenção de exceções para usar, principalmente, o Android, deve sentir o peso das sanções em seus balanços financeiros por algum tempo. A expectativa é de uma redução de, pelo menos, US$ 10 bilhões em suas próximas receitas trimestrais.

Ao falar sobre a quantidade de pedidos de exceção, porém, a Huawei não foi muito além. A empresa aponta a quantidade de pedidos como um reflexo danoso da lista de banimento e pede que os EUA a retirem imediatamente, junto com suas subsidiárias, para que os negócios possam continuar como antes. A fabricante chinesa afirma estar sendo tratada injustamente e nega oferecer qualquer perigo à segurança nacional americana ou de qualquer outro país em que atua.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.