Estudo revela que formação e infraestrutura atrapalham professores conectados

Por Redação | 28 de Setembro de 2015 às 08h46

A pesquisa TIC Educação 2014, disponibilizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), mostra que os professores brasileiros têm interesse em utilizar recursos educacionais tecnológicos, mas nem sempre existem condições de infraestrutura e capacitação para o uso da internet com propósito pedagógico.

Por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), a TIC Educação desde 2010 investiga o uso e a apropriação dos computadores e da Internet nas escolas públicas e privadas, de ensino fundamental e médio, localizadas em áreas urbanas. O levantamento de 2014 foi realizado levando em conta 930 escolas no período de setembro de 2014 a março de 2015 e ouviu 930 diretores, 881 coordenadores pedagógicos, 1.770 professores e 9.532 alunos.

"Embora a infraestrutura de tecnologia de informação e comunicação (TIC) esteja avançando nas escolas brasileiras, o seu uso, bem como a sua apropriação nas práticas pedagógicas, ainda representa um desafio para projetos educacionais e políticas públicas", afirma o gerente do Cetic.br, Alexandre Barbosa. Segundo a TIC Educação 2014, para apenas 30% dos professores de escolas públicas o principal local de uso das TIC é a sala de aula nas atividades com alunos. Esse número é estável se comparado a 2013.

Para a especialista da TIC Educação, Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida, a pesquisa tem bastante relevância para a compreensão do cenário atual e as tendências do uso pedagógico das TIC nas escolas brasileiras. Ela acredita que o estudo é fundamental "no que se refere às questões de formação de professores para o uso das novas tecnologias em suas atividades com os alunos".

Durante o IV Seminário Web Currículo e o XII Encontro de Pesquisadores em Currículo, esse tema, bem como os resultados da pesquisa foram discutidos com mais de 600 educadores e pesquisadores, que reuniram para abordar assuntos referentes aos desafios para integração das tecnologias digitais de informação e comunicação de formação dos professores.

A TIC Educação 2014 mostra estabilidade na proporção de escolas de áreas urbanas com acesso à internet. Cerca de 93% das que possuem computadores estão conectadas à rede, sendo que 92% nas escolas públicas e 97% nas escolas particulares. Já em relação aos equipamentos presentes nas escolas, a proporção de instituições com computadores móveis e tablets também é crescente. Foi diagnosticado que 79% das escolas públicas possuem computador portátil e 29% tablets. Em 2013, esses números eram 73% e 11%, respectivamente.

"Apesar dos avanços verificados nos últimos anos, a velocidade de conexão ainda é uma das principais barreiras, especialmente se considerada a necessidade de uso simultâneo de equipamentos em uma mesma escola", diz Barbosa. De acordo com a pesquisa, em 2014, 41% das escolas públicas com conexão à internet tinham a principal conexão à rede com até 2 MB/s de velocidade. Já nas escolas particulares é menor o percentual de instituições que têm conexão limitada a até 2 MB/s: 21% das instituições com internet.

Cerca de 67% dos professores de escolas públicas declaram que aprenderam sozinhos a utilizar computador e internet, enquanto 57% afirmam que fizeram cursos de formação específicos sobre as TIC. Entre os que fizeram cursos, 74% pagou pelo curso, em comparação às oportunidades de capacitação oferecidas por órgãos do governo que somaram apenas 29%. Já entre os professores de escolas públicas com formação universitária, 37% cursaram uma disciplina específica sobre o uso dos computadores e da internet durante o ensino superior. O uso de dispositivos móveis para acessar a internet entre os professores também cresceu. Em 2013, 36% dos profissionais acessaram a rede por meio de um dispositivo mobile, já em 2014 esse número foi de 64%.

A pesquisa TIC Educação 2014 também mostrou que 82% dos professores de escolas públicas produzem conteúdo para as aulas por meio do uso das TIC. Já o uso da internet para publicação ou compartilhamento de conteúdos próprios a serem utilizados com os alunos é feito por 28% dos professores de instituições públicas de ensino.

Na atual edição, o estudo também identificou que as novas tecnologias estão mais presentes no cotidiano dos alunos das escolas brasileiras, mas esse contato nem sempre se dá no ambiente escolar. São considerados usuários de internet 87% dos alunos de escolas públicas urbanas. Entre os usuários, a proporção de alunos de escolas públicas urbanas que acessam à rede por meio de celulares chega a 79%.

Apesar do crescimento no acesso à internet, somente 41% dos alunos conectados de escolas públicas fizeram uso da rede na escola, sendo que o principal local de acesso segue sendo o domicílio com 77%. Alexandre Barbosa reitera que "menos da metade dos alunos que participam de redes sociais utilizam essas plataformas para trabalhos escolares".

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.