Estudo mostra que apenas 7% das empresas são totalmente digitais

Por Redação | 23 de Fevereiro de 2016 às 12h10

Um novo relatório divulgado pela Capgemini, um dos principais provedores globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, mostra que poucas empresas têm utilizado as tecnologias digitais com sucesso para se tornarem uma organização verdadeiramente digital. Intitulado "Organizando-se para o digital: Porque a destreza digital é importante", o estudo conta com a parceria do MIT, Instituto de Tecnologia de Massachusetts. É interessante notar que o estudo revelou que as empresas que são verdadeiramente digitais tinham duas vezes mais chances de registrarem maior crescimento, lucratividade e satisfação dos clientes em relação às concorrentes.

"Durante a disseminação da energia elétrica, a produtividade cresceu somente quando as empresas reformataram radicalmente a maneira como eram organizadas - desde o layout físico das fábricas e implantação da linha de montagem até a elevação da especialização profissional. Foi uma mudança radical que não ocorreu da noite para o dia. Temos a convicção de que algo bem semelhante ocorrerá com a transformação digital. A modificação dos nossos modelos organizacionais tradicionais em modelos digitais exigirá uma mudança complexa. Mas não temos escolha se quisermos tirar proveito máximo dessa revolução digital", afirma Didier Bonnet, vice-presidente sênior de transformação digital da Capgemini Consulting.

O relatório baseia-se em uma pesquisa conduzida com 274 executivos que representam 150 empresas de 28 países. As empresas digitalmente maduras abrangem uma mentalidade voltada ao digital e que prioriza as soluções digitais antes de tudo. Essas corporações também se organizam rapidamente em torno de novas oportunidades digitais, além de engajarem seus funcionários, encorajando-os resolver problemas de maneira coletiva.

O estudo também mostra que possuir um alto grau de destreza digital possibilita às empresas aproveitarem as oportunidades e reagir às rupturas muita mais rapidamente do que seus concorrentes tradicionais. No entanto, apenas 7% das empresas exibe uma mentalidade marcada pela destreza e priorização do digital. A maioria delas ainda se encontra na fase de transição, tentando lidar com a instabilidade entre novos modelos organizacionais e os antigos. Cerca de 56% ainda estão na fase inicial deste processo, enquanto 21% já se encontram em estágio avançado de transição.

Também foi revelado que cerca de 16% das organizações pesquisadas estão estacionadas. Isso indica que elas não apresentam competência digital significativa, lutam com as possibilidades, são inflexíveis e incapazes de responder às tendências e necessidades do cliente.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.