Estudo mostra os principais desafios e expectativas dos executivos de TIC

Por Redação | 11.04.2016 às 08:30
photo_camera Divulgação

A Ericsson divulgou na última sexta-feira (8) um relatório que mostra como os executivos de alto nível estão acompanhando e reagindo à transformação da indústria de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

Segundo o estudo, o crescimento acelerado da mobilidade tem influenciado as empresas desse setor e está se tornando um constante desafio. Essa crescente demanda provocou o desenvolvimento e a capitalização de diversos serviços, mas introduziu novos desafios para diversas organizações, como o aumento no volume de tráfego de dados.

Por esse motivo, os executivos buscam inovar, aumentando a agilidade para responder às demandas de mercado e, ao mesmo tempo, otimizando processos e operações para reduzir o orçamento e os custos com a operação legada. Eles ainda utilizam os tradicionais conceitos de OSS e BSS, mas acreditam que esses conceitos terão de mudar para acomodar as demandas de agilidade e virtualização. Além disso, os entrevistados assumem que serão os responsáveis por comandar as redes virtualizadas.

Os principais problemas levantados pelo relatório são complexidade, ineficiência, comunicação interna precária, tempo de resposta ao mercado, restrições orçamentárias, escassez de competências e legado tecnológico.

O estudo também identificou um espectro de operadoras de telecom que vão desde as mais tradicionais até as focadas em banda larga e redes de negócios. Segundo a análise, operadoras tradicionais – geralmente, as focadas em telefonia fixa – encontram grande dificuldade em modernizar o seu setor de TI. Por outro lado, as operadoras de rede móvel e comercial são mais abertas para a transformação e estão investindo em soluções de TI, como nuvem e soluções em software.

"Os investimentos em TI podem ajudar as operadoras a gerenciarem a complexidade da mudança, acelerarem a adoção de novas tecnologias e adicionarem inteligência ao resultado final", disse André Kraemer, diretor de Redes Core e Cloud para América Latina. "Essa inteligência de TI, sob a forma de software integrado, análise de dados, gerenciamento de informações e controles – incluindo a segurança –, é um requisito prévio para as redes e sistemas serem capazes de suportar as transações, insights e automações necessárias para satisfazer os requisitos dos usuários", concluiu.

A pesquisa, encomendada pela Ericsson e realizada pela consultoria IDC, entrevistou 47 executivos ao redor do mundo para analisar os desafios e as expectativas dos profissionais de cargos de liderança na área de tecnologia.