Estação Espacial Internacional pode ser privatizada na próxima década

Por Redação | 18.08.2016 às 14:54
photo_camera NASA

Quando se fala em uma missão humana até Marte, a primeira parada seria a Estação Espacial Internacional. É nela que estão sendo feitos preparativos e pesquisas para a exploração do Planeta Vermelho, que deve ganhar cada vez mais força conforme os anos se passam. Depois disso, entretanto, a ISS pode trocar de mão e deixar de ser uma base administrada e gerenciada pela NASA.

Os planos de privatização foram revelados pelo Administrador de Desenvolvimento de Sistemas de Exploração da NASA, Bill Hill, durante uma conferência com a imprensa nesta quinta-feira (18). De acordo com ele, a ideia é transferir o comando da base para uma entidade ou conglomerado comercial, ou outras partes que estejam interessadas nesse tipo de utilização, de forma a garantir que as pesquisas em baixa órbita continuem acontecendo.

O motivo, como dá para imaginar, é financeiro. A manutenção da Estação Espacial Internacional é cara, assim como é alto o custo das pesquisas realizadas por lá. Atualmente, o financiamento é inteiramente feito pelo governo dos Estados Unidos, algo que pesa bastante nos cofres públicos e é sempre alvo de debates na hora de decisões com relação ao planejamento financeiro do país.

A iniciativa vem em resposta à extensão do financiamento para a ISS, que deveria ser encerrado neste ano, mas foi estendido pelo governo de Barack Obama até 2024, de forma a garantir a continuidade das pesquisas relacionadas à Marte e se encaixar com as previsões de lançamento das primeiras missões humanas ao país. Daqui a oito anos, então, começaria a busca por uma iniciativa privada que esteja interessada na Estação e em sua continuidade.

Apesar de a ideia de privatização ainda ser distante, as parcerias com a iniciativa privada começam desde já. Ainda neste ano, deve ser encerrada a construção de uma nova doca para receber naves da Boeing e da SpaceX, duas empresas que estão na vanguarda da exploração comercial do espaço e devem começar a enviar pessoal para a ISS no ano que vem.

A parceria da NASA com a empresa de Elon Musk, inclusive, já é antiga. Desde 2012, a SpaceX realiza missões de abastecimento para a agência espacial, muitas vezes levando suprimentos e equipamentos para a Estação Espacial Internacional. O empreendedor também se mostra cada vez mais interessado na exploração de Marte. Os dois aspectos o colocam no topo da lista de compradores em potencial da ISS.

Entretanto, Hill evitou falar em possíveis negócios ou novos donos, comentando apenas que ainda é cedo para falar em transações desse tipo. Por enquanto, garantiu ele, nada deve mudar, e tanto cientistas quanto especialistas e astronautas poderão continuar seus trabalhos sem interrupção em busca de chegar até Marte, além de todas as outras pesquisas que acontecem na Estação Espacial Internacional. A privatização, então, deve ser discutida em um momento posterior.

Fonte: TechCrunch