Em 2016, companhias devem apostar no Wi-Fi público em mercados emergentes

Por Redação | 10 de Dezembro de 2015 às 14h39

O mercado de Wi-Fi é, assim como quase todo o mercado de tecnologia, bastante dinâmico e está sempre aberto a novidades. Assim, ficar de olho na opinião de especialistas pode ser uma dica interessante para quem não quer ficar para trás e, muito diferente disso, pretende surfar na onda das novas tendências que vêm por aí.

A Ruckus Wireless, companhia de alcance global que se destaca no mercado por meio do fornecimento de sistemas avançados de internet sem fio para plataformas móveis, deu alguns pitacos sobre possíveis novidades e mudanças para o próximo ano, que começa daqui a pouco.

A principal aposta do próximo ano, segundo a Ruckus, deve ser no aumento da capacidade de rede em ambientes de alta densidade. Com isso, muitas companhias de grande porte, como redes sociais e buscadores, devem fortalecer a criação de projetos para a instalação de redes de internet sem fio em mercados emergentes. “Estamos prevendo uma aquisição ou fusão envolvendo um MSO Tier 1 e um MNO Tier 1”, informa a companhia especialista.

Outra aposta dos especialistas gira em torno de uma experiência de conexão wireless mais simples e segura para os usuários com o uso do Hotspot 2.0 e de soluções para cadastramento de dispositivos baseadas em certificados. Assim, quem acessar redes públicas, como a de locais públicos ou ambientes corporativos, estará cada vez menos exposto.

Inovação tecnológica

É óbvio que o próximo ano deve trazer consigo uma série de inovações para incrementar as experiências de uso. A Ruckus aposta na polinização cruzada de Wi-Fi e celular, além da adoção de análises para melhorar a experiência do usuário. O uso de plataformas IdC também deve crescer devido às suas características de segurança e gerenciamento.

A introdução de novos serviços via internet também deve ser uma das marcas de 2016, com a virtualização cada vez maior, o que vai exigir a ampliação das redes sem perda de eficiência. Tais características do próximo período devem eliminar algumas barreiras de crescimento deste ramo de negócios.

“Com avanços em tecnologia, regulamentação e negócios, muitas das tradicionais fronteiras do setor sem fio devem começar a desparecer”, aposta a Ruckus. “Isso deve afetar áreas como tecnologias licenciadas e não licenciadas, provedores de serviços e companhias e ambientes públicos e privados”, complementa.

Fonte: Ruckus Wireless

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.