Em 2015, gastos com TI devem cair 7% no Brasil

Por Redação | 12 de Abril de 2015 às 00h50

A situação econômica cada vez mais negativa do Brasil também terá impacto sobre o mundo da tecnologia da informação. A desaceleração de investimentos por aqui deve levar a uma redução de 7% nos gastos neste ano, de acordo com números revelados nesta quinta-feira (9) pelo Gartner. O instituto, inclusive, está revendo sua previsão inicial para 2015, que era de US$ 125 bilhões, e baixando-a para US$ 116 bilhões.

É um gigantesco montante, sem dúvida, mas a ideia geral é que essa redução nos gastos gere mais pressão sobre os executivos e especialistas no setor. De acordo com a consultoria, a ideia geral é que os responsáveis pelas áreas de TI terão que, a partir de agora, entregar mais com menos. Os investimentos serão focados em áreas essenciais, enquanto nas outras, a ideia é otimizar o trabalho e os custos.

É justamente por isso que, dos dez setores que mais devem receber dinheiro, três se relacionam a hardwares e ferramentas. São eles: infraestrutura / datacenters, BI e outras ferramentas de análise, e, por fim, ERP. Tecnologias ainda em estágio de implementação, como as de mobilidade ou cloud computing, ou até mesmo a tão importante segurança, acabaram ficando mais para baixo no ranking. Confira:

  1. Infraestrutura e data center
  2. Analytics e Business Inteligence
  3. ERP
  4. Computação na nuvem
  5. Mobilidade
  6. Redes de voz, dados e comunicação
  7. Marketing digital
  8. Segurança
  9. Desenvolvimento de aplicações
  10. Serviços de TI e automação

Para o Gartner, esse novo quadro de queda mostra que os setores de tecnologia de informação cada vez mais dependem de decisões estratégicas do que de investimentos. O objetivo atual, para boa parte dos 2,8 mil executivos entrevistados pelo estudo, é colocar dinheiro naquilo que realmente interessa. Nessa toada, a virtualização e a computação na nuvem aparecem como uma forma de reduzir os custos internos, ao mesmo tempo em que trazem mais agilidade e segurança nos negócios.

É justamente o setor de cloud que deve acabar escalando esse ranking no futuro próximo, apesar de aparecer apenas na quarta colocação atualmente. A transformação de data centers locais para uma infraestrutura conectada vai continuar a liderar o movimento de TI dentro das empresas, e essa deve se tornar a prioridade número um na agenda dos CIOs brasileiros.

Fontes: Baguete, Computer World

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.