Elon Musk responde acusações sobre condições de trabalho na fábrica da Tesla

Por Redação | 14 de Fevereiro de 2017 às 13h37
photo_camera Divulgação

O CEO da Tesla, Elon Musk, está negando as acusações de que os funcionários da fábrica da montadora de veículos elétricos estão sujeitos a más condições de trabalho. O executivo chamou as acusações de "moralmente ultrajantes".

Depois de passar quatro anos trabalhando na empresa, Jose Moran, um operário da fábrica da Tesla em Fremont, na Califórnia,tentou explicar na semana passada os motivos que teriam levado os trabalhadores do local a criar um sindicato.

Moran alega que os funcionários da fábrica lidam frequentemente com horas extras obrigatórias para atingir as metas de produção, além de estarem sujeitos a lesões que seriam evitáveis com o uso de máquinas compatíveis com corpos dos trabalhadores. Outra acusação está relacionada ao baixo salário pago pela empresa.

Musk admitiu que os trabalhadores da fábrica às vezes precisam fazer horas extras obrigatórias, uma vez que a empresa está "tentando compensar uma paralisação na produção", mas a cada semana elas estão diminuindo. Em relação aos salários potencialmente baixos, Musk alega que a Tesla oferece um salário inicial mais alto do que aqueles sindicalizados no UAW.

O bilionário também insinuou que Moran foi pago pela United Automobile Workers (UAW) para agitar o sindicato. A UAW, que é a central sindical norte-americana que representa os trabalhadores do setor automobilístico, negou veementemente a acusação.

"O Sr. Moran não é e não foi pago pela UAW. Temos a esperança de que a Tesla peça desculpas ao seu empregado, o Sr. Moran, por difundir notícias falsas sobre ele", disse por meio de uma declaração publicada na última sexta-feira (10).

Moran também afirma que houve tentativas de silenciar os funcionários e impedi-los de se organizar: "Recentemente, cada trabalhador foi obrigado a assinar uma política de confidencialidade que ameaça consequências em caso de exercermos o nosso direito de falar sobre os salários e condições de trabalho", disse o ex-funcionário.

Via Business Insider

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!