É oficial: BlackBerry agora representa 0% das vendas de smartphones

Por Redação | 15.02.2017 às 15:32

Após anos agonizando no mercado, parece que podemos finalmente decretar o fim da BlackBerry – pelo menos no que diz respeito a participação da fabricante canadense nas vendas de novos smartphones no mercado.

Dados do quarto trimestre de 2016 coletados pela consultoria de mercado Gartner revelam que a BlackBerry teve exatos 0% de participação nas vendas, com pouco mais de 200 mil aparelhos rodando o sistema operacional BB10 vendidos no período.

O total de 207,9 mil unidades ainda pode parecer um número significativo, mas não se engane: com 431 milhões de smartphones comercializados no mundo no quarto trimeste do ano passado, a empresa não conseguiu sequer atingir 0,1% da representação das vendas – para os curiosos, o número exato foi 0,0482%. No terceiro trimeste do ano passado, a empresa havia atingido 0,1% do mercado, com 377,8 mil unidades vendidas.

Dados da consultoria de mercado Gartner revelam 0,0% de participação da BlackBerry nas vendas de smartphones (foto: Reprodução/Gartner)

Os dados sobre as vendas de smartphones BlackBerry carregados com o Android, como o Priv e o DTEK60, não foram separados em um grupo independente e estão contidos no emaranhado de 352,7 milhões de smartphones Android vendidos no período. No entanto, segundo o próprio CEO da companhia, John Chen, a BlackBerry vendeu um total de 400 mil smartphones no segundo trimestre de 2016 – incluindo dispositivos Android e BB10 – o que nos dá alguma uma estimativa de que as coisas não devem ter sido muito diferentes entre os aparelhos Android da empresa no quarto trimestre do ano passado.

Em setembro do ano passado, a companhia anunciou oficialmente que não fabricaria mais smartphones próprios e agora atuaria apenas com unidades fabricadas através de parcerios licenciados.

O último esforço "oficial" da companhia no setor será o Mercury, um smartphone Android desenvolvido na sede canadense da empresa, que deve ser revelado durante o Mobile World Congress (MWC) deste ano, em Barcelona.

Via: Business Insider, Gartner