Do iPhone 6s ao iPad gigante: o que esperar do evento da Apple?

Por Durval Ramos | 08 de Setembro de 2015 às 14h30

Embora o evento da Apple aconteça nesta quarta-feira (9), a ansiedade e as expectativas para as novidades que serão apresentadas estão bem mornas. Não que ninguém mais se importe com os produtos da empresa, mas eles foram alvos de tantos rumores nos últimos meses que praticamente já sabemos tudo o que vai aparecer.

Foi-se o tempo em que realmente esperávamos ansiosos por revelações e anúncios. As surpresas ficaram no passado e, já há alguns anos, essas apresentações servem mais para confirmar aquilo que todo mundo espera do que pegar os fãs desprevenidos com algo grandioso. Não há mais espaço para segredos.

Clique aqui, salve o evento em sua agenda e não perca a cobertura exclusiva do Canaltech!

Mas isso não faz do evento de amanhã algo pouco interessante. Mesmo previsível, a Apple vai apostar na renovação de seus principais produtos para bater de frente com a concorrência e, de quebra, lançar algumas tendências. E não estamos falando apenas da nova geração de iPhones, uma vez que os smartphones são apenas uma das novidades que veremos na apresentação que acontece às 14h (horário de Brasília) deste dia 9.

Apple

E, para você ficar por dentro de tudo o que vai rolar, reunimos todos os detalhes e rumores sobre os principais anúncios para você acompanhar já sabendo o que está por vir. Mais do que estragar a surpresa, trata-se de uma forma de provar que não existe mais espaço para segredos — e que não há nenhum problema quanto a isso.

iPhone 6s: como todo mundo conhece, mas nem tanto

Não há como negar que o iPhone 6s vai ser a grande estrela desta quarta-feira. O evento vai ser basicamente para que a Apple possa detalhar as novidades de seu novo smartphone, o qual já teve uma liberação massiva de rumores e vazamentos ao longo dos últimos meses. Tanto que praticamente já sabemos tudo o que será mostrado sobre ele mesmo sem uma única conferência sobre isso.

Como acontece tradicionalmente na chamada "geração intermediária", o modelo 6s não deve trazer grandes mudanças em relação àquilo que já tínhamos visto anteriormente no iPhone 6 e 6 Plus. Tanto que, em termos de design, pouquíssimas mudanças estão a caminho, fazendo com que ele seja mais uma atualização. Só que isso não quer dizer que essas alterações são insignificantes.

iPhone 6S

A principal novidade que se espera é a chegada da tecnologia Force Touch, que traz mais sensibilidade e precisão à tela. Disponível inicialmente no Apple Watch, a novidade vem sendo especulada nos novos iPhones já há algum tempo, embora ninguém tenha conseguido confirmar isso até agora. No entanto, faz todo sentido para a empresa trazer esse recurso para o aparelho, principalmente após a boa recepção que a função teve em outros dispositivos.

Já em termos visuais, poucas alterações. É quase certo que teremos um modelo 6s e 6s Plus com as mesmas telas de 4,7 e 5,5 polegadas de seus antecessores, assim como a utilização de uma estrutura metálica um pouco mais resistente. Acredita-se também que ele será ligeiramente mais fino, além de contar com um modelo na cor rosa.

Por outro lado, a Apple deve trazer algumas mudanças bem significativas em seu interior. Afinal, se os novos iPhones não vão revolucionar, que pelo menos tragam uma boa evolução em seu hardware — e é exatamente isso que devemos ver amanhã. A começar pelo chip A9, que deve torná-lo bem mais rápido que os demais produtos da empresa. Apenas para ter uma ideia, isso vai fazer com que o smartphone seja mais veloz que o iPad Air 2, que conta com um processador A8X.

Force Touch

Ele também deve ganhar 1 GB a mais de RAM e uma câmera de 12 megapixels. A lente frontal também vai ganhar melhorias significativas, saltando de míseros 1,2 MP do iPhone 6 para 5 MP. Acredita-se ainda que ele contará com um flash de LED na parte da frente para que você nunca mais sofra com uma selfie durante a noite.

Mas nem só de alegrias se resume a conferência e algumas decepções podem estar a caminho — principalmente para quem espera ver um iPhone 6c. Ainda que alguns rumores sobre um modelo mais modesto com tela de 4 polegadas já tenham aparecido, é praticamente certo que a Apple não vai dar continuidade a essa linha de smartphones.

Apple TV: o retorno merecido

Deixando o iPhone de lado, a Apple deve trazer outras novidades no evento desta quarta-feira. E a nova versão da Apple TV é uma das mais aguardadas delas, já que todo mundo esperava o anúncio na última WWDC, em junho. E, mais do que atualizar o aparelho depois de um hiato de três anos, algumas melhorias significativas e outras funções podem aparecer amanhã.

O upgrade em termos de hardware é praticamente certo, mas pouco se sabe exatamente sobre os detalhes dessa configuração. A única coisa que é praticamente certa é que, por conta disso, podemos esperar um aumento significativo no preço, que deve girar entre US$ 150 e US$ 200.

Apple TV 2015

A maior novidade em relação à Apple TV está na sua integração com a Siri, algo que já vinha sido especulado há algum tempo e que foi praticamente confirmado pela fabricante no convite para a conferência, que traz a assistente de voz em destaque. Acredita-se ainda que a plataforma de vídeo vai contar com busca universal, fazendo com que suas pesquisas englobem não apenas a iTunes Store, mas também a Netflix, HBO Now e outros serviços semelhantes.

Há quem ainda acredite que devemos ver um foco maior em jogos, o que vai fazer com que a Apple TV se aproxime muito mais de um video game. E, apesar de esse ser um rumor relativamente antigo, a grande aposta é que tenhamos um novo controle com tecnologia touch e sensor de movimento que pode ser usado também como joystick. Se isso for confirmado, teremos um cenário bem interessante também no mercado de games daqui para frente.

Só que, mais uma vez, nem tudo são flores. No ano em que o 4K chegou até mesmo aos celulares, a Apple decidiu que vai continuar ignorando a resolução Ultra HD e já confirmou que não vê necessidade de trazer o suporte a essa qualidade para a Apple TV. E parte disso está exatamente no fato de que a tecnologia ainda não chegou de fato às casas das pessoas, o que faria com que o investimento nesse recurso fosse praticamente inútil.

Apple TV

Por outro lado, a maior expectativa em relação a tudo isso é que possivelmente veremos o anúncio do serviço de streaming da Maçã de Cupertino. Vários rumores já apontaram nessa direção — citando, inclusive, uma mensalidade de US$ 40 — e os bons números do Apple Music são um bom indicativo nessa direção. Além disso, basta ver o quanto a Netflix vem se destacando nesse meio (e incomodando as operadoras de TV) para ver que a empresa dificilmente vai deixar passar a oportunidade de explorar esse segmento.

iPad: do Pro ao Mini

Talvez a boa aceitação do público com um iPhone maior que o habitual tenha dado à Apple uma coragem extra para adotar uma estratégia semelhante com seus tablets. Tanto que uma das apostas para o evento de amanhã é exatamente o chamado iPad Pro, uma versão do aparelho com tela de 12,9 polegadas.

Alguns rumores sobre sua configuração já chegaram a surgir, incluindo a utilização de um chip A9X, armazenamento de 64 GB e conexão LTE, mas a grande novidade deve estar mesmo em sua tela. Assim como o iPhone 6s, acredita-se que ele também contará com a tecnologia Force Touch e que um de seus acessórios será a stylus feita exatamente para oferecer o máximo de precisão para o usuário na hora de escrever e desenhar.

iPad Pro

E, embora pareça um pouco exagerado imaginar um iPad tão grande assim, o anúncio do modelo Pro deve vir como um reposicionamento da Apple com seus tablets. Sempre focada em mobilidade e entretenimento, a empresa pode se aproveitar da chegada da função multitarefa do iOS 9 para produtividade. Tanto que, segundo alguns dos boatos, a tela iPad Pro na horizontal deve exibir dois aplicativos lado a lado sem precisar redimensioná-los.

A única parte realmente negativa em relação a tudo isso deve ser o preço. Tudo indica que o novo modelo não será nada barato. Tanto que muitos já apontam a versão mais simples, de 64 GB, saindo por nada menos do que US$ 1.200.

Já em relação ao novo iPad Mini, pouco foi comentado. A única coisa que se acredita é que ele deve seguir uma linha bem parecida daquilo que vimos no Air 2, ou seja, com um chip A8X. O resto, por incrível que pareça, é um grande mistério.

Aparições menores

Como de costume, a Apple vai aproveitar o evento para trazer informações menores que vão rechear sua apresentação entre um anúncio e outro. Nada com o mesmo impacto de um novo iPhone, mas que merecem ser destacadas.

É o caso do iOS 9, que foi anunciado em junho e que deve finalmente ganhar uma data de lançamento. E, como de costume, não deve ser tão distante assim, o que significa que a atualização deve chegar na semana que vem ou na outra.

iOS 9

De maneira semelhante, a empresa deve falar rapidamente também sobre o OS X e a versão El Capitan. Assim como o iOS, é bem provável que vejamos a data de lançamento do sistema ser revelada nesta quarta-feira, visto que pouco foi comentado sobre ele desde seu anúncio no último WWDC.

Para fechar a trinca de sistemas operacionais, pode ser que tenhamos uma surpresa vindo em relação ao Apple Watch. Quase não há indícios disso, mas não seria estranho ouvirmos falar de um watchOS 2, principalmente após a apresentação bastante empolgada que a empresa comandou em junho. Assim, é fácil imaginar uma atualização com aplicativos mais poderosos, novas opções de personalização e variações de interface.

Por fim, vamos finalmente ouvir falar do Apple Music depois de um longo silêncio. E a data não seria mais propícia, já que setembro marca os três meses de estreia do serviço de streaming de música e vamos finalmente descobrir o quanto as pessoas gostaram da plataforma ou se vão abandoná-lo com o término do período gratuito.

Apple Music

Só que podemos ter algumas novidades interessantes além de toda a parte corporativa e baseada em números. A Apple havia prometido trazer a novidade para o Android e esse deve ser o momento escolhido para vermos essa expansão acontecer — juntamente com o show de algum artista do momento.

Mais uma coisa...

É claro que, mesmo com os infinitos rumores, sempre há a possibilidade de vermos algo que ninguém esperava ou mesmo que uma das novidades traga algo diferente do que foi especulado. Faz parte da mágica dos eventos. E é exatamente por isso que convidamos você para acompanhar a transmissão do evento ao vivo aqui no Canaltech a partir das 13h45 (horário de Brasília) desta quarta-feira. Faça suas apostas e venha conosco ver o que está por vir.