Dell planeja IPO da SecureWorks, avaliada em US$ 1,4 bilhão

Por Redação | 12.04.2016 às 13:20

Em mais uma de suas grandes movimentações internas para se tornar mais interessante e valiosa para investidores e analistas, a Dell revelou que está planejando a separação da SecureWorks. A companhia de segurança em tecnologia da informação, adquirida em 2011, deixaria de fazer parte do rol de serviços da empresa americana e teria suas ações abertas de forma independente na Bolsa de Valores.

É um movimento ousado, mas que deve gerar altos dividendos. De acordo com as perspectivas oficializadas em um documento enviado pela Dell à Comissão de Valores Imobiliários do governo dos Estados Unidos, a expectativa é de que a SecureWorks mais do que dobre seu valor de mercado. Há cinco anos, quando ela foi adquirida, o pagamento foi de US$ 612 milhões. Com a abertura de capital, esse total poderia ultrapassar US$ 1,4 bilhão.

Isso seria obtido por meio de uma oferta de ações cujos valores poderiam variar de US$ 15,50 a US$ 17,50 cada. O resultado final, então, seria um lucro variável de US$ 134,3 milhões a US$ 154,9 milhões, de acordo com os resultados da primeira oferta pública de ações. Um valor altamente considerável, principalmente quando se leva em conta que, hoje, a SecureWorks já é um dos ramos mais lucrativos da Dell, com faturamento em alta e US$ 339,5 milhões registrados no ano passado.

Entretanto, ao contrário do que muitos especialistas poderiam pensar a partir dessas informações, o dinheiro não seria usado para financiar parte da aquisição da EMC. O negócio, o maior já feito na indústria de tecnologia da informação, tem um valor estimado em US$ 67 bilhões e seria pago por meio da venda e transferência de outros setores.

Isso se deve ao caráter da SecureWorks, uma empresa que desenvolve softwares que permite aos administradores de TI acompanharem a utilização de sua rede e a protegerem contra ataques hackers e infecção por malware. O foco no segmento corporativo e de tecnologia da informação é uma das armas da Dell para se manter relevante em um mercado no qual seu principal produto de outrora, os computadores pessoais, registram quedas de vendas cada vez maiores pela preferência dos consumidores por tablets e celulares de tela grande.

Enquanto isso, outros setores estariam sendo oferecidos para partes interessadas em uma possível aquisição. É o caso, por exemplo, da SonicWall, também especializada em softwares e serviços de segurança, a Perot Systems, que trabalha no ramo do outsourcing, e a Quest Software, de gerenciamento de bancos de dados e virtualização. Os negócios, se gerarem os frutos esperados, podem trazer cerca de US$ 10 bilhões para a Dell – estes sim, para serem usados na aquisição da EMC.

Fontes: Security Exchange Comission, Tech Insider