De novo: Apple é acusada de infringir patentes com a bateria do iPhone 6s

Por Redação | 15 de Julho de 2016 às 20h21

Depois ter sido processada por uma empresa que praticamente não existe, outra troll das patentes decidiu acusar a Apple de copiar uma de suas tecnologias patenteadas. A companhia texana Somaltus LLC afirma que o sistema de carregamento utilizado nas baterias dos iPhones mais recentes infringe a patente adquirida por ela em 2010. A tecnologia comprada pela Somaltus teria sido desenvolvida por uma outra empresa também norte-americana, chamada Snap-On.

A patente em questão descreve como um sistema deve funcionar em relação a uma série de componentes conectados à bateria principal de um carro. O interessante é que os papéis adquiridos pela Somaltus não fazem menção alguma a smartphones, tablets ou computadores, mas mesmo assim a companhia decidiu abrir uma briga judicial contra a Maçã, e fez isto essa semana numa corte do próprio Texas. Segundo o 9to5Mac, não é a primeira vez que a mesma companhia tenta processar uma série de empresas com base na patente US 7657386 B2, já que há alguns anos ela processou sem êxito as fabricantes Ford e Nissan.

Bateria Apple

(Foto: Divulgação/Apple)

Especificamente, a Somaltus tem alegado que a tecnologia de carregamento rápido do iPhone 6s — que carrega o dispositivo com mais rapidez até sua bateria atingir os 80% — infringe os papéis registrados por ela. A questão é que qualquer um que lê a patente não encontra nenhuma similaridade entre os dois assuntos, já que o registro da companhia texana fala um sistema integrado que inicia processos com base no estado em que eles foram abortados, e tudo isso dentro de um veículo. A tecnologia utilizada pela Apple, no entanto, apenas carrega o iPhone mais rapidamente e depois reduz a velocidade da recarga para preservar a vida útil da bateria.

A história fica ainda mais estranha se levarmos em conta que a Somaltus não tem presença de mercado alguma, tampouco vende algum desses produtos registrados por ela. O caso está em andamento numa corte distrital do leste do Texas, região conhecida pelo grande número de empresas fantasmas que de vez em quando surgem das cinzas exigindo royalties e indenizações de grandes corporações. A Apple ainda não respondeu ao caso, mas é provável que a empresa não aceite um acordo extrajudicial e opte por brigar nos tribunais.

Nos últimos anos, a própria Maçã tem afirmado que é a maior vítima dos "trolls de patentes" em todo o mundo. Em 2015 a empresa teve de pagar US$ 532 milhões para uma companhia chamada SmartFlash LLC, por infringir uma série de patentes relacionadas a jogos e multimídia.

Fonte: 9to5Mac

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.