Cooperativa de táxi pede falência e culpa o Uber

Por Redação | 07 de Janeiro de 2016 às 12h07

Uma das maiores cooperativas de táxi da cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, abriu falência nesta semana, e culpou serviços como o Uber e o Lyft para isso. Mas não, isso não aconteceu pelos motivos que você imagina. De acordo com a empresa, o problema é sim a grande concorrência imposta pelos aplicativos, e ela está levando seus motoristas – e não os passageiros – embora.

Segundo declarações feitas à imprensa local, a Yellow Cab Cooperative passa por maus lençóis por não possuir mais as mesmas fontes de renda de antigamente. Com a fuga de funcionários de seus rincões para os do Uber e também do Lyft, reduziu-se o número de contribuições para a cooperativa e essa é a única forma com a qual a companhia obtém seu faturamento.

A notícia fortaleceu uma outra discussão que vem acontecendo nos territórios onde o Uber possui uma presença forte. Em Seattle, por exemplo, os motoristas do aplicativo foram autorizados pela prefeitura a criarem sindicatos, enquanto em outras localidades, muito se debate sobre as condições de trabalho e a maneira “independente” com a qual o sistema permite que seus motoristas trabalhem, mas sem oferecer benefícios e outros direitos para os trabalhadores.

Caso a Yellow Cab Cooperative realmente encerre suas operações, a perspectiva é que o transporte público de San Francisco também seja prejudicado, com um possível fim dos táxis que pegam passageiros na rua e aceitam dinheiro. Mais do que isso, os veículos da cooperativa são os únicos a possuírem uma frota adaptada para deficientes físicos, enquanto os carros do Uber não têm esse tipo de preocupação.

Por outro lado, a ideia de que foram unicamente o Uber e o Lyft os responsáveis pela falência também foi refutada, já que a Yellow Cab Cooperative teria falhado em se modernizar, criando apenas um aplicativo simples para chamada de carros e colocando alguns veículos híbridos nas ruas. Isso seria pouco para atrair consumidores e, principalmente, competir com as opções mais baratas e voltadas para caronas pagas oferecidas pelo Uber.

Fontes: Yellow Cab Cooperative, Gizmodo